fbpx

4 dicas de nutrição que impactam na boa saúde mental

Postado em 9 de janeiro de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Confira quais mudanças na alimentação podem fazer bem para a sua mente

Se você ou uma pessoa próxima apresentam sinais de que sofrem com alguma doença que atinja sua saúde mental, não deixe de consultar um profissional especializado. Afinal, o assunto é sério e requer cuidados como qualquer problema físico de saúde, podendo ocasionar em consequências mais graves se não for tratada a tempo.

Mas, além de buscar ajuda profissional, é preciso repensar alguns hábitos, como praticar atividades físicas de forma mais frequente e se atentar à importância da nutrição para a saúde mental. Um estudo recentemente divulgado pela revista Social Science & Medicine mostrou que seguir uma dieta saudável, por exemplo, pode trazer benefícios não só ao corpo, mas também à mente.

Importância da nutrição para a saúde mental

Confira a seguir algumas dicas que podem impactar na boa saúde do cérebro:

Desenho de cabeça com alimentos no lugar do cérebro, entre frutas, legumes e vegetais

Para contribuir com a saúde mental, devemos priorizar o consumo de alimentos naturais | Imagem: Shutterstock

Prefira frutas e vegetais

Quando for fazer a sua próxima refeição, lembre-se de priorizar o consumo de alimentos naturais. O estudo da revista Social Science & Medicine sugere que o bem-estar mental fica mais ativo e saudável quando se aumenta a quantidade e frequência de frutas e vegetais consumidos ao decorrer do dia, durante as refeições.

Peixes e grãos integrais são bem-vindos

De acordo com uma pesquisa publicada no The American Journal of Clinical Nutrition, além da alta ingestão de frutas e vegetais, o consumo de peixes e grãos integrais pode estar associado também a um risco reduzido de depressão. No caso dos peixes, a alta quantidade de ômega 3 pode ser considerada um dos fatores responsáveis por esse benefício.

Assista também: Alimentos no combate à depressão

Conheça a dieta mediterrânea

Os alimentos citados anteriormente, além do azeite de oliva e de pequenas quantidades de laticínios fazem parte da chamada dieta mediterrânea. Um estudo divulgado no Annals of Neurology, feito na Grécia, demonstrou que os adeptos desse tipo de alimentação, com acompanhamento de um nutricionista, puderam diminuir a chance de terem doenças degenerativas como o Alzheimer, problemas de cognição, acidente vascular cerebral (AVC) e depressão.

Mantenha-se hidratado

Tomar água mineral ao longo do dia, segundo um estudo publicado no World Journal of Psychiatry, pode ajudar em quadros de depressão e até mesmo ansiedade. Porém, mais estudos científicos ainda precisam ser feitos para os cientistas chegarem a uma conclusão mais acertada sobre a relação entre saúde mental e hidratação.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Ocean N. et al. Lettuce be happy: A longitudinal UK study on the relationship between fruit and vegetable consumption and well-being. Social Science & Medicine, 2019.

Jun Lai. et al. A systematic review and meta-analysis of dietary patterns and depression in community-dwelling adults. The American Journal of Clinical Nutrition, 2014.

Psaltopoulou T. et al. Mediterranean diet, stroke, cognitive impairment, and depression: A meta-analysis. Annals of Neurology, 2013.

Fahimeh H. et al. Drinking plain water is associated with decreased risk of depression and anxiety in adults: Results from a large cross-sectional study. World Journal of Psychiatry, 2018.

Leia também



Assine nossa newsletter: