fbpx


Qual o melhor kit de alimentação infantil? Como escolher pratos e talheres para as crianças

Postado em 13 de novembro de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

O conjunto certo pode até incentivar seu filho a comer mais frutas, legumes e verduras

Até os seis meses de idade, os bebês devem se alimentar exclusivamente de leite materno. Depois, é chegada a hora da introdução alimentar, ou seja, é preciso complementar a alimentação com comida sólida. Para ajudar nesse processo, além do cuidado com os alimentos que serão oferecidos ao bebê, é preciso se atentar aos utensílios necessários neste momento. Detalhes como o material, a composição e até as ilustrações de pratos, copos e talheres devem ser observados para eleger qual o melhor kit de alimentação infantil para o seu filho.

E a ciência já sabe quais são esses pontos de atenção. Diversos estudos vêm mostrando o que faz (ou não) dessas peças opções adequadas para os pequenos. Conheça algumas dessas pesquisas e suas conclusões a seguir e aprenda o que você precisa notar antes de comprar um desses conjuntos:

Qual o melhor kit de alimentação infantil? Cuidados para a escolha

Eleger peças apropriadas contribui com a saúde e nutrição.

Criança segurando prato e talher e sorrindo

Crianças precisam de utensílios adequados para comer | Imagem: Freepik

Pratos

Se a criança não for muito fã de legumes, verduras e frutas, um incentivo que pode ajudar ela a experimentá-los está no prato. Segundo um estudo publicado pelo periódico JAMA Pediatrics, pratos com imagens grafadas ou impressas com frutas e vegetais podem estar associados a um aumento no consumo desses alimentos entre crianças de três a cinco anos de idade.

Talheres

Ao oferecer uma colher ou garfo feito de plástico para o seu filho, verifique na embalagem se o produto possui algum tipo de componente tóxico. Uma pesquisa alemã publicada pelo instituto BFR descobriu que em utensílios de cozinha feitos de plástico existem substâncias chamadas de oligômeros que podem liberar subprodutos tóxicos, que, por sua vez, podem ser transferidos para os alimentos em que entraram em contato.

Lancheira

Se a criança for levar o kit para a escola ou a casa de um amiguinho, a lancheira também deve ser levada em consideração. Um alerta feito pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos é que muitas embalagens e potes usados para armazenar alimentos na cozinha podem conter componentes tóxicos provenientes de plástico, como o BFA e os ftalatos.

Garrafas

Para os pais que oferecem garrafinhas, copos e mamadeiras para seus filhos se hidratarem, o mesmo recado da lancheira é válido. Opte por produtos livres de toxinas como o bisfenol-A (BPA). Uma pesquisa publicada pelo Environmental Monitoring and Assesment apontou que o BPA tem sido positivamente associado ao risco de obesidade e disfunção tireoidiana conforme a criança cresce. Eles também descobriram que, embora nenhuma garrafa ou mamadeira analisada tenha mostrado um risco de ingestão de BPA superior ao limite, o uso combinado com outros utensílios de plástico pode resultar em problemas mais sérios.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Emily M. et al. Association of Plate Design With Consumption of Fruits and Vegetables Among Preschool Children. JAMA Pediatrics, 2018.

Polyamide Kitchen Utensils: Keep contact with hot food as brief as possible. BRF, 2019.

Phthalates Factsheet. CDC, 2017.

Manal A. et al. Testing baby bottles for the presence of residual and migrated bisphenol A. Environmental Monitoring and Assessment, 2018.

Assine nossa newsletter: