fbpx


Refrigerante dá estria? Descubra a verdade sobre esse tipo de bebida

Postado em 1 de fevereiro de 2021 | Autor: Redação Nutritotal

Mesmo com as versões zero açúcar é necessário ter cautela

Refrigerante dá estria? Essa é uma dúvida comum das pessoas que poderia entrar na longa lista de prejuízos à saúde que a popular bebida gaseificada traz, junto com o desenvolvimento de diabetesgordura no fígado – só para citar alguns. Mas quando falamos da relação entre o produto e a saúde da pele, a história exige um pouco mais de atenção.

A seguir, confira o que a ciência já desvendou como verdade sobre a bebida e o que não passa de mito. Mas já vale o spoiler: é melhor optar por uma água de coco, por um suco natural ou um chá gelado quando bater aquela vontade de uma bebida mais docinha!

4 mitos e verdades sobre os efeitos do refrigerante

Fique atento para fazer escolhas conscientes nas compras!

Garota bebendo refrigerante

Imagem: Freepik

Consumir a bebida durante a gravidez não traz riscos à saúde

Mito. Os refrigerantes são ricos em adoçantes artificiais e calóricos, que, segundo os cientistas, pode ocasionar no risco de sobrepeso ou de obesidade precoce entre os bebês. Além disso, algumas mães podem ter o diagnóstico de diabetes gestacional, o que exige cuidado com bebidas ricas em açúcares.

Refrigerante dá estria e celulite

Parcialmente verdade. Não há uma relação direta entre o consumo de refrigerante com o surgimento de celulite, estrias e outros problemas de pele. Porém, a bebida influencia no aumento da obesidade, que, por sua vez, pode ser considerado um dos fatores de risco para esses quadros.

Refrigerante zero açúcar faz mal

Verdade. Mesmo que o rótulo da bebida tenha a frase “sem açúcar”, os refrigerantes zero ainda podem ser adoçados artificialmente. E estudos científicos compararam dois grupos de pessoas: um que tomava refrigerante zero e o outro no qual não havia consumo de qualquer bebida artificial. Como resultado, o primeiro grupo tinha um maior risco de doenças cardiovasculares e de morte prematura em relação ao segundo.

A bebida não traz riscos à saúde durante o período de amamentação

Mito. Segundo pesquisas, o consumo de refrigerante durante o período de amamentação pode levar a um pior desenvolvimento cognitivo em crianças quase dois anos depois. Além disso, o hábito pode levar ao ganho de peso tanto na lactante quanto no bebê.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Yeyi Z. et al. Maternal consumption of artificially sweetened beverages during pregnancy, and offspring growth through 7 years of age: a prospective cohort study. International Journal of Epidemiology, October 2017.

Hae S. et al. Metabolic Obesity Phenotypes and Risk of Cellulitis: A Cohort Study. J Clin Med. 2019.

Amy M. et al. Association Between Soft Drink Consumption and Mortality in 10 European Countries. JAMA Intern Med. 2019.

Eloi C. et al. Sugary Drinks, Artificially-Sweetened Beverages, and Cardiovascular Disease in the NutriNet-Santé Cohort. Journal of the American College of Cardiology, 2020.

Michael G. et al. Consuming sugary beverages while breastfeeding affects cognitive development in children. EurekaAlert, 2020.

-

Assine nossa newsletter: