fbpx


Obesidade também é uma doença comportamental?

Postado em 4 de março de 2022 | Autor: Redação Nutritotal

Entenda como as nossas escolhas podem contribuir com o ganho de peso

Dados da Pesquisa Nacional de Saúde apontam que um quarto da população adulta brasileira seja obesa, o que corresponde a 41 milhões de pessoas. Esse número pode ser ainda maior nos próximos anos, e considerando que é importante conhecer os fatores envolvidos no seu desenvolvimento, uma dúvida persiste: a obesidade é uma doença comportamental?

Muita gente associa apenas a compulsão alimentar como parte fundamental para o alto número de obesos no país, mas a realidade é mais complexa do que apenas taxá-la como um problema de saúde mental.

Afinal, não é somente um comportamento que vai elevar o valor do Índice de Massa Corporal ou definir que uma pessoa é obesa. Atitudes físicas, mentais, sociais e fatores externos fazem parte do conjunto de motivos ligados aos casos de obesidade.

Ainda assim, o lado comportamental, segundo a ciência, tem grande influência no aumento de casos de obesidade. Veja a seguir quatro motivos relacionados:

Obesidade é uma doença comportamental? Confira 4 fatores associados

Homem olhando prateleiras do mercado

Imagem: Shutterstock

Infância farta

Existem estudos que evidenciam que crianças em ambiente com maior reforço alimentar podem apresentar um maior risco para desenvolvimento de obesidade. Por outro lado, a promoção de atividades estimulantes e não relacionadas à alimentação em casa podem também apresentar um efeito protetor contra o desenvolvimento precoce de obesidade.

Renda salarial

Outro fator que interfere no comportamento e, consequentemente, acaba contribuindo com casos de obesidade, é o dinheiro. Um estudo feito entre brasileiros sugere que a renda per capita de uma família pode ser crucial para que enfrentem maiores distâncias de mercados e estabelecimentos alimentícios, e frequentemente, acabem baseando as escolhas alimentares em função do preço dos alimentos.

Além disso, a estrutura da região também molda o comportamento. A disponibilidade de locais públicos e privados para a prática de atividade física, por exemplo, também deve ser considerada como um fator social importante para entender a obesidade.

Noites de sono

A dificuldade para dormir também é um fator que influencia a obesidade e forma o comportamento das pessoas. Em ambientes onde a qualidade e higiene do sono é ruim, há mais relatos de jovens obesos, segundo pesquisas.

Leia também: alimentos que ajudam a ter uma boa noite de sono

Consumo de frutas e verduras

Com qual frequência você costuma comer saladas, legumes e frutas na sua dieta? Essa pode ser considerada uma atitude, segundo a ciência, capaz de prevenir a obesidade. Pessoas que consomem mais porções de vegetais e frutas ao longo do dia têm um risco menor de ganharem peso, devido à presença de fibras e nutrientes.

Quer saber mais a respeito da obesidade? Siga o Nutritotal – Para Todos no Instagram e confira dicas imperdíveis sobre nutrição!

*Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Pesquisa Nacional de Saúde, 2019.

Kai K. et al. Infants with big appetites: The role of a nonfood environment on infant appetitive traits linked to obesity. The American Journal of Clinical Nutrition, 2020.

Fernanda M. et al. Fatores ambientais associados à obesidade em população adulta de um município brasileiro de médio porte. Caderno de Saúde Pública, 2019.

Janine N. et al. Behavioral, contextual and biological factors associated with obesity during adolescence: A systematic review. Plos One, 2019.

Sandya M. et al. The integrated role of multiple healthy weight behaviours on overweight and obesity among adolescents: a cross-sectional study. BMC, 2019.

Monica N. et al. The Relationship between Vegetable Intake and Weight Outcomes: A Systematic Review of Cohort Studies. Nutrients, 2018.

-

Assine nossa newsletter: