fbpx


Teste o seu risco de ter síndrome metabólica

Postado em 19 de abril de 2019 | Autor: Redação Nutritotal

Quando o metabolismo entra em desiquilíbrio, o corpo fica mais suscetível a desenvolver doenças do coração. Veja agora se você possui fatores que possam agravar esse risco

Silhueta de mulher sendo medida por fita métrica por médica

A SM aumenta o risco de doenças cardiovasculares | Imagem: Shutterstock

O metabolismo, mesmo que a gente não veja, vive em constante movimento e funciona sem parar para manter o corpo saudável. Mas há casos em que ocorrem mudanças que desequilibram esse sistema, como é o caso da chamada Síndrome Metabólica (SM). Trata-se de um transtorno que causa alterações metabólicas e aumenta o risco de doenças cardiovasculares. Também envolve o aumento da gordura abdominal, aumento da glicose no sangue, quadros de hipertensão arterial, entre outros problemas de saúde importantes.

Essa síndrome vem sendo estudada desde 1947, recebeu o nome de Síndrome X em 1988, e o termo “Síndrome Metabólica” foi criado em 1998 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e tornou-se o mais popular. De lá para cá, tem sido alvo de muitas pesquisas científicas. O principal fator que a desencadeia é a resistência do corpo à insulina, que por sua vez, está ligada ao acúmulo de gordura.

Por isso, tanto o tratamento quanto a prevenção da SM envolvem o emagrecimento e a mudança de hábitos de vida, como adoção de atitudes mais saudáveis, desde manter uma alimentação saudável até a prática de atividade física.

Atualmente há três principais consensos de diagnósticos, que podem ser feitos por profissionais da área da saúde. Abaixo, listamos alguns dos principais indícios e fatores de risco para a SM acontecer, faça o teste e veja quantos você possui:

Teste para Síndrome Metabólica

  • Seu peso. A obesidade é um fator crucial para a Síndrome Metabólica. Calcule o seu IMC para saber se você possui excesso de peso.
  • Sua pressão arterial. Caso esteja acima de 130 x 85 mmHg ou em tratamento, deve ser considerada um fator de risco.
  • Seu triglicérides. Se estiver maior ou igual a 150 mg/dL ou em tratamento, também conta como um indício de SM.
  • Seu colesterol HDL. O chamado colesterol bom (HDL) precisa estar acima de 40 mg/dL para homens e acima de 50 mg/dL para mulheres para não representar riscos.
  • Sua glicemia. Em jejum, se ficar maior ou igual a 110 mg/dL ou haver um diagnóstico prévio de diabetes mellitus, pode ser considerada um fator de risco.

Resultado:

Se você marcou 3 ou mais fatores descritos acima, você pode sofrer de Síndrome Metabólica. Porém, para receber o diagnóstico condizente, procure sempre um médico de confiança.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Sociedade Brasileira de cardiologia. I Diretriz Brasileira de Diagnóstico e Tratamento da Síndrome Metabólica. Arquivos Brasileiros de Cardiologia – Volume 84, Suplemento I, Abril 2005.

SAMSON, Susan L.; GARBER, Alan J.. Metabolic Syndrome. Endocrinology And Metabolism Clinics Of North America, [s.l.], v. 43, n. 1, p.1-23, mar. 2014. Elsevier BV.

-

Assine nossa newsletter: