>


Efeitos da suplementação com kombucha e farinha de banana na saciedade

Postado em 28 de junho de 2021 | Autor: Aline Palialol | Tempo de leitura: 4 min

O estudo apresentou efeitos positivos na ação antioxidante com o consumo de kombucha

Suplementação de kombucha e farinha de banana verde na saciedade Sabendo do crescente desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) e a sua relação com o aumento da mortalidade devido à composição corporal, um estudo observou, na literatura científica, importantes achados sobre o uso da kombucha na imunomodulação e da farinha de banana verde (FBV) no metabolismo glicosídico e lipídico. Esses achados fizeram com que pesquisadores decidissem investigar os efeitos da suplementação dietética com kombucha e farinha de banana verde em ratos Wistar, para descobrir se essa poderia ser uma via eficaz de perda de peso saudável, a ser analisada em seres humanos.

O kombucha é uma bebida probiótica, fermentada por uma comunidade simbiótica de bactérias, fungos e leveduras, que se caracteriza por ter compostos e vitaminas solúveis em água, apresentando ação profilática para a saúde e tratamento de DCNT. A farinha de banana verde, por sua vez, é um ingrediente prebiótico com alto teor de amido resistente, que não é absorvido no intestino, mas metabolizado por bactérias da microbiota intestinal, que produzem ácidos graxos de cadeia curta com consequente benefício ao intestino e ao metabolismo.

A kombucha usada nessa pesquisa foi preparada com chá verde fermentado por uma colônia simbiótica de bactérias e leveduras (scoby caseiro), enquanto a farinha foi produzida em Itajaí – SC com bananas de maturidade 1, desidratadas a 50°C por 19h e depois moídas. Cada 100 g de farinha continham 70 g de carboidratos (14 g de fibra dietética e 56 g de amido resistente), 4,3 g de proteína e 0,8 g de gordura.

Para o experimento, foram utilizados 35 ratos Wistar divididos em 5 grupos por 55 dias, 4 deles receberam dieta de refeitório sem suplementação nos primeiros 10 dias e o grupo controle recebeu dieta comercial. Nos 45 dias restantes, cada grupo recebeu um tratamento diferente: tratamento de controle/alimentação comercial; dieta de refeitório; dieta de refeitório + kombucha; dieta de refeitório + 20% FBV e dieta de refeitório + 20% FBV + kombucha.

Para a análise do consumo alimentar e do ganho de peso, os animais foram pesados no início do período de indução, semanalmente durante todo o experimento e 1 dia antes da eutanásia. Após a eutanásia, o fígado foi pesado para obter a razão peso/peso corporal dos animais e avaliar a atividade antioxidante do tecido hepático. Além disso, foram coletadas amostras de sangue para análise bioquímica.

De acordo com os resultados da atividade antioxidante, o kombucha apresentou efeitos positivos, diferentemente da FBV que, apesar de ter um conteúdo significativo de compostos fenólicos, tem uma atividade antioxidante reduzida. Ademais, no período experimental, a ingestão de dieta de refeitório + kombucha + FBV gerou a menor ingestão de ração, ou seja, maior saciedade e menor ganho de peso nos animais.

Entretanto, os pesquisadores mencionam que, apesar da fermentação do chá com kombucha proporcionar efeitos protetores à saúde, o consumo de concentrações inadequadas pode causar hepatotoxicidade devido à ação da bebida ou sua interação com outras substâncias consumidas. Portanto, concluíram que, apesar do efeito positivo da suplementação da kombucha em combinação com a FBV observada nesse estudo, tanto no consumo alimentar quanto no ganho de peso dos animais, essa suplementação gerou hepatotoxicidade e não apresentou resultados capazes de prevenir as consequências para a saúde de uma dieta rica em gordura e açúcar, condizente com o tipo de alimentação praticada por pessoas com maior risco de DCNT.

Referência

Urrutia MAD, Ramos AG, Menegusso RB, Lenz RD, Ramos MG, Tarone AG, Cazarin CBB, Cottica SM, da Silva SAV, Bernardi DM. Effects of supplementation with kombucha and green banana flour on Wistar rats fed with a cafeteria diet. Heliyon. 2021 May 18;7(5):e07081. doi: 10.1016/j.heliyon.2021.e07081. PMID: 34041411; PMCID: PMC8144004.

Cadastre-se e receba nossa newsletter