fbpx


Menor ingestão alimentar aumenta mortalidade intra-hospitalar

Postado em 5 de abril de 2021 | Autor: Marcella Gava

O estudou avaliou informações de mais de 155 mil pacientes

A alimentação inadequada e a desnutrição são fatores importantes que sobrecarregam a saúde pública, o desenvolvimento econômico e social, tanto de países com alta ou baixa renda. Nesse estudo foram analisados dados do NutritionDay, a fim de determinar o impacto da ingestão alimentar durante a hospitalização sobre os desfechos, de acordo com o risco nutricional.

Para a realização deste estudo, os autores utilizaram dados do questionário NutritionDay sobre desnutrição nos hospitais. O questionário contém informações sobre a equipe de nutrição e a estrutura hospitalar, dados clínicos, demográficos e nutricionais e ingestão alimentar do paciente, dados para preenchimento do formulário de avaliação nutricional MST e informação sobre alta hospitalar, transferência ou mortalidade.

O estudo contou com 155.524 pacientes de 8.336 hospitais, com idade média de 62 anos e IMC de 24,7kg/m². Destes, 41% responderam que ingeriam toda a comida, 12% não comeram nada, mesmo sendo permitido, e 9% estavam de jejum para algum procedimento. Ao analisar o tempo de internação hospitalar, verificou-se que os pacientes que informaram não comer nada apresentaram risco aumentado de mortalidade em 30 dias. O risco de mortalidade para os que ingeriram metade da refeição foi HR 2,25, e entre os que ingeriram um quarto foi de HR 3,51, para os que estavam de jejum foi HR 3,70 e os que não ingeriram nada mesmo estando permitido foi de HR 5,66, sendo todos esses valores significativos (p<0,001). Os pacientes que ingeriam um quarto das refeições ou menos tinham menos probabilidade de receberem alta, sendo o HR para um quarto 0,85, para “nada” 0,77 e para jejum 0,82, também todos significativos (p<0,001). De acordo com o risco nutricional, o número de pacientes que ingeriam um quarto ou menos das refeições foi maior no grupo MST 0-1 do que no MST ≥2.

Assim, os autores concluíram que ingestão alimentar inadequada é frequente nos pacientes hospitalizados e que os que não ingerem toda a refeição apresentam maior mortalidade em 30 dias, menos chance de receber alta hospitalar e um pior estado nutricional.

Refêrencia

Cardenas, D., Bermúdez, C., Pérez, A. et al. Are traditional screening tools adequate for monitoring the nutrition risk of in‐hospital patients? An analysis of the nutritionDay database. Journal of Parenteral and Enteral Nutrition. 2021; 1‐ 10. https://doi.org/10.1002/jpen.2085

Assine nossa newsletter: