fbpx

Acurácia de teste não Invasivo para avaliação de Doença hepática associada à Falência Intestinal

Postado em 8 de abril de 2019 | Autor: Marcella Gava

Novo teste de função hepática – LiMAx - para avaliação de Doença hepática

Considerando que Doença hepática associada à falência intestinal (DHFI) é uma das principais causas de morte em pacientes que recebem nutrição parenteral, estudo avaliou a acurácia do teste de função hepática não invasivo (LiMAx) na avaliação DHFI em pacientes recebendo nutrição parenteral domiciliar (NPD). O LiMax avalia atividade dos hepatócitos através de teste respiratório e valores acima de 315 mg/kg/h são considerados normais.

Foram selecionados pacientes com mais de 18 anos, recebendo NPD devido falência intestinal crônica (FIC) por mais de seis meses e pelo menos três dias na semana. Os pacientes foram examinados clinicamente, foi realizado avaliação da função hepática dinâmica (teste LiMax e teste com indocianina verde – TIV – que reflete o clearence hepático), elastografia transitória (FibroScan), e testes de avaliação hepática padrão, que incluiu ALT, AST, fosfatase alcalina, gama-GT e bilirrubinas. Foram também aferidos peso, altura, realizado calorimetria indireta e impedância bioelétrica.

Foram incluídos no estudo 90 pacientes com média de 51 anos de idade e 35 meses de NP. O aumento dos valores do LiMAx apresentou forte correlação com a ingestão oral (p=0.045), anastomose jejuno ileocólica (p=0.013), presença de válvula íleo cecal (p=0.039), íleo intacto (p=0.015), níveis aumentados de citrulina (p=0.014), assim como com redução do IMC (p=0.037), infusões por semana (p=0.011), calorias (p=0.011), proteínas (p=0.002), e lipídeos (p=0.016) e óleo de oliva (p=0.004) ofertados semanalmente, e níveis de PCR (p=0.010). Na análise multivariada, Íleo intacto (p=0.010), anastomose jejuno ileocólica (p=0.025), aumento do nível de citrulina (p=0.040), redução da oferta de óleo de oliva via parenteral (p=0.043) e presença de ingestão via oral (p=0.040) se associaram independentemente com o aumento dos valores de LiMAx, sendo que este ainda mostrou uma correlação negativa forte com bilirrubina total, bilirrubina conjugada e gama-GT.

LiMAx se correlacionou positivamente com o TIV, e negativamente com o  FibroScan.

Os autores concluíram que o teste de função hepática LiMAx se associou significativamente a testes de função hepática padrão e à parâmetros gastrointestinais e relacionados à nutrição. Sendo assim, a avaliação da função hepática pelo teste LiMAx pode ter um potencial diagnóstico para DHFI mesmo em estágio precoce e melhorar desfechos a longo prazo em pacientes em terapia nutricional parenteral.

 

Referência:

Blüthner E et al. Advanced liver function assessment in patients with intestinal failure on long-term parenteral nutrition. Clin Nutr. 2019 Mar 5. pii: S0261-5614(19)30093-7.

 

Leia também