fbpx


Avaliação do estado hídrico e ângulo de fase por bioimpedância em pacientes críticos

Postado em 4 de maio de 2020 | Autor: Marcella Gava

Autores demonstraram que o ângulo de fase, a reactância e o comprimento do vetor avaliados através da BIA reduziram durante os 3 primeiros dias de internação

Um estudo avaliou o uso do ângulo de fase e comprimento do vetor durante a admissão na unidade de terapia intensiva (UTI) para determinar a relação entre suas variações (Δ) e alterações na hidratação corporal, uma vez que estes parâmetros são independentes do peso do paciente. Foram incluidos pacientes que permaneceram mais de 72h internados e avaliado BIA e balanço hídrico nos dias 1, 3 e 7 de internação. Foram coletadas também informações sobre diagnóstico, severidade da doença, dias de internação hospitalar e na UTI, altura e peso.

Fizeram parte do estudo 156 pacientes com idade média de 62,5 anos e 67% eram homens. Os principais motivos de internação na UTI foram doença cardiovascular (28%), falência respiratória (17%) e trauma (15%). No dia 3, a resistência (R/m), a massa e integridade celular (Xc/m), o ângulo de fase, o comprimento do vetor e a massa muscular e massa celular corporal calculadas reduziram significativamente enquanto a água corporal total (ACT), o balanço hídrico cumulativo (BHC) e o escore de hidratação apresentaram um aumento significativo. No dia 7, Xc/m e o AF decresceram ainda mais e o BHC aumentou mais. R/m, comprimento do vetor (CV) e ACT não apresentaram diferenças significativas entre o dia 1 e 7. A Δ AF se relacionou positivamente com a Δ Xc/m e inversamente à Δ BHC. A variação do comprimento do vetor se relacionou positivamente com as variações de  Xc/m e R/m e inversamente com BHC e ACT.

Dessa maneira, os autores demonstraram que o angulo de fase, a reactância e o comprimento do vetor avaliados através da BIA reduziram durante os 3 primeiros dias de internação na UTI enquanto os marcadores de hidratação e o balanço hídrico cumulativo aumentaram nesse período. O declínio do angulo de fase e do comprimento do vetor se relacionaram com o declínio da reactância, mas também ao aumento da hidratação. O AF, CV e a equação da ACT são independentes do peso corporal, parecem ser marcadores úteis no monitoramento do status hídrico de pacientes críticos e somente após a homeostase hídrica destes pacientes ser atingida o ângulo de fase pode ser utilizado como marcador de massa e integridade celular.

Referências

Denneman N et al. Fluid balance and phase angle as assessed by bioelectrical impedance analysis in critically ill patients: a multicenter prospective cohort study. Eur J Clin Nutr. 2020 Apr 14.

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter