fbpx

Consumo materno de cafeína aumenta risco de obesidade infantil

Postado em 3 de junho de 2019 | Autor: Michelle G. Barone

Ingestão de café durante a gestação estaria associada à maior adiposidade e risco de obesidade de crianças aos 5 e 9 anos

Para discutir o impacto da ingestão de cafeína durante a gestação e se o consumo materno, paterno e de avós estaria associado à consequência a longo prazo, como a maior incidência de obesidade infantil, Chen e colaboradores realizaram estudo de coorte com 558 mães e filhos irlandeses. A ingestão alimentar e de cafeína (café, chá, refrigerantes, e alimentos e bebidas contendo chocolate) foi avaliada através de registro alimentar, e medidas como IMC e circunferência da cintura das crianças aos 5 e 9 anos foram aferidas para diagnóstico da obesidade infantil.

Os resultados evidenciaram que as mães com maior consumo de cafeína eram mais velhas, mais propensas a consumir álcool e multíparas. A ingestão de cafeína foi associada a maior valor de escore-z de IMC para idade aos 5 e aos 9 anos, sendo que essas  associações foram estatisticamente significativas para consumo materno de cafeína ≥200 mg/dia.  Aumento de 100mg/d na ingestão de cafeína materna foi associado a um maior risco geral de sobrepeso e obesidade nas crianças aos 5 ( RR: 1,32) e aos 9 anos (RR: 1,44), e de obesidade central . Essa relação foi mais associada à cafeína do café do que a do chá, sugerindo que outros componentes do café possam influenciar a adiposidade pós-natal dos filhos. A ingestão de cafeína dos pais e avós não influenciou os resultados de excesso de peso das crianças.

Os autores discutiram que esses efeitos associados ao café podem estar relacionados a alterações de funções metabólicas e alterações de funções cerebrais associadas ao apetite.

Concluiu-se que a ingestão de cafeína materna, mas não paterna e de avós, está associada a maior adiposidade e maior risco de obesidade de crianças aos 5 e 9 anos, com associações mais fortes com cafeína do café. Sendo assim, parece prudente limitar a ingestão de produtos cafeinados.  A recomendação atual para a ingestão de cafeína durante a gravidez na Irlanda é <200mg/d segundo a  Food Safety Authority of Ireland

Referência:

Chen LW, Murrin CM, Mehegan J, Kelleher CC, Phillips CM; Cross-Generation Cohort Study for the Lifeways. Maternal, but not paternal or grandparental, caffeine intake is associated with childhood obesity and adiposity: The Lifeways Cross-Generation Cohort Study. Am J Clin Nutr. 2019 Jun 1;109(6):1648-1655.

Leia também