fbpx


Existe alguma dieta ideal para pacientes com câncer?

Postado em 5 de julho de 2021 | Autor: Aline Palialol | Tempo de leitura: 2 min.

Muitas dietas estão relacionadas ao tratamento de câncer, mas apresentam riscos a outros fatores de saúde.

O câncer é uma doença muito abrangente e ao mesmo tempo específica, isso porque, as recomendações e orientações para pacientes oncológicos dependem do tipo de câncer, do tratamento, do estágio da doença e das características e predileções de cada paciente. Apesar dessas condições, é importante lembrar que para uma melhora do quadro clínico e recuperação do paciente, uma boa nutrição é essencial.

Alguns estudos relacionam a dieta cetogênica, uma prática alimentar baseada em elevada ingestão de gordura, consumo moderado de proteínas e baixo consumo de carboidratos com supressão do crescimento tumoral de cânceres de mama, próstata e alguns cânceres gástricos. No entanto, a dieta está associada a quadros de hipoglicemia, prejuízos renais e até pode piorar o perfil lipídico desses pacientes.

Dietas alcalinas também são mencionadas no ambiente científico como alternativas para o paciente oncológico, pois consideram a premissa de que um ambiente ácido é promotor do câncer. Essa dieta recomenda consumir mais alimentos alcalinos e menos ácidos. Entre os alimentos ácidos estão carnes, peixes, laticínios, a maioria das leguminosas, grãos, arroz, algumas frutas, vegetais e açúcar, ou seja, uma dieta extremamente restritiva que pode provocar déficits nutricionais, já tão presentes em pacientes oncológicos.  Vale ressaltar, também, que essa ainda é uma estratégia controversa, pois adaptações fisiológicas são capazes de neutralizar a acidez dos alimentos, além disso, o próprio ácido clorídrico, presente no estômago, é mais ácido que todos os alimentos.

Portanto, apesar de muitas teorias científicas, não existe uma dieta específica para o câncer. A melhor dieta que o paciente diagnosticado com câncer pode receber do nutricionista, antes de tudo, é orientação para escolhas alimentares mais saudáveis. Isto é, explicar ao paciente como a sua alimentação pode auxiliá-lo a ter um percurso menos agressivo da doença, tornando-o apto ao autocuidado em relação à dieta. Além disso, o acompanhamento do estado nutricional com frequência pode auxiliar a prevenção de perdas nutricionais características de quem tem câncer.

Ouça nosso Podcast sobre “Importância do suplemento nutricional oral e benefícios do ômega-3 no paciente oncológico adulto e pediátrico” e entenda melhor o papel do nutricionista no acompanhamento de pacientes oncológicos.

Referências

Guia de Nutrição para Oncologistas

ARENDS, J. et al. ESPEN Guidelines on Nutrition in Cancer Patients. Clinical Nutrition, v. 36, n. 1, p. 11– 48, 2017. http://dx.doi.org/10.1016/j. clnu.2016.07.015.

RAVASCO, P. Nutrition in Cancer Patients. J Clin Med., v. 8, n. 8, p. 1211, 2019. doi:10.3390/jcm8081211

FENTON, T. R.; HUANG, T. Systematic Review of the Association between Dietary Acid Load, Alkaline Water and Cancer. BMJ Open, v. 6, n. 6, p. 1–5, 2016. doi:  10.1136/bmjopen-2015-010438

Leia também



Assine nossa newsletter: