Hipertensão infantil: quais são os fatores associados?

Postado em 30 de julho de 2020 | Autor: Marcella Gava

Participaram do estudo 131 crianças, que chegaram a coleta final aos 9 anos de idade

Estudo publicado em periódico do grupo Nature avaliou os fatores de risco para hipertensão em crianças de até nove anos de idade. Para isso, os autores realizaram um estudo com foco no período perinatal, avaliando variáveis como obesidade, comprimento dos telômeros leucocitários nas crianças e fatores de risco maternos como depressão, sobre a incidência de hipertensão na infância. Assim, foi realizada uma coorte com 201 crianças seguidas do nascimento aos 9 anos de idade, com coleta de dados aos 4-6 semanas de idade, 6 e 12 meses e então anualmente. Foram coletados peso, altura, circunferência da cintura, pressão arterial e tempo de aleitamento materno. Aos 4-5 anos de idade das crianças foi mensurado o tamanho dos telômeros leucocitários por amostra de DNA. As mães foram recrutadas durante o segundo ou terceiro trimestre sendo colhidos dados sociodemográficos, antropométricos e de ingestão alimentar a cada consulta do pré-natal, e durante o estudo, anualmente, informações como peso materno, ocorrência de depressão e sintomas depressivos.

Dos participantes, 131 crianças chegaram a coleta final, aos 9 anos de idade. Destas, 6,1% foram classificadas como pré-hipertensas, 2,3% com hipertensão, sendo que ao grupo combinado pré-hipertensão/hipertensão representou 8,4%. Crianças com pré/hipertensão aos 9 anos apresentaram maior histórico de rápido ganho de peso (p=0,025) e suas mães apresentaram maiores taxas de depressão no período pré-natal (p=0,039). Não foram encontradas associação entre pré/hipertensão e fatores de risco nas crianças, como aleitamento materno exclusivo ou por algum período, idade gestacional no nascimento, gênero, peso ao nascer, obesidade, obesidade abdominal, consumo excessivo de refrigerantes e comprimento dos telômeros leucocitários, ou com os fatores de risco maternos, como demográficos, obesidade, comprimento dos telômeros leucocitários e depressão do nascimento aos 5 anos da criança. Pela analise multivariada ajustada por fator de risco, o rápido ganho de peso (OR 7,25) e a depressão materna pré-natal (OR 6,7) foram associados a pré/hipertensão aos 9 anos quando ajustado por idade da pressão sanguínea alterada (p=0,40) e idade materna ao nascimento (p=0,87).

Com isso, os autores concluíram que o rápido ganho de peso e a depressão materna pré-natal se associaram a pré/hipertensão em crianças de até 9 anos e que obesidade precoce e comprimento dos telômeros não se associaram a hipertensão na infância. Sendo assim, o período perinatal é um ponto importante na prevenção de hipertensão arterial infantil.

Referência:

Kjaer TW, Medrano R & Wojcicki JM.  Rapid infant weight gain and prenatal maternal depression are associated with prehypertension/hypertension before age 9. Feb, 2020. Journal of Human Hypertension.

Leia também