>


Identificados preditores de perda de peso após cirurgia bariátrica

Postado em 5 de junho de 2015 | Autor: Alweyd Tesser

Um estudo publicado na revista da Sociedade Americana de Alimentação Parenteral e Enteral, Nutrition in Clinical Practice, demonstrou que idade, índice de massa corporal (IMC) e by-pass gástrico Y-de-Roux são preditores independentes de perda de peso a longo prazo após cirurgia bariátrica.

A cirurgia bariátrica é o tratamento de escolha para obesidade grave quando o tratamento clínico não apresenta resultados satisfatórios. A maioria dos pacientes têm sucesso com o procedimento cirúrgico, no entanto, cerca de 10% a 15% dos pacientes não alcançam a meta de perda de peso, o que motivou a realização desse estudo.

Parri e colaboradores conduziram um estudo coorte prospectivo com pacientes obesos grau III submetidos à cirurgia bariátrica, usando as técnicas By-pass gástrico Y-de-Roux (BPYR) ou Sleeve (SG). Participaram do estudo 95 pacientes, dos quais 77 (81,1%) foram submetidos à BPYR e 18 (18,9%) ao SG.

Os resultados do acompanhamento demonstraram que a perda de peso pré-operatória não foi associada com a perda de peso em longo prazo. Além disso, quanto maior a idade e o IMC no pré-operatório, menor o percentual de perda de excesso de peso em 1, 2, 3 e 4 anos após a cirurgia bariátrica.

Nos primeiros 3 anos após a cirurgia, não foram observadas diferenças estatísticas na perda de peso entre as técnicas cirúrgicas. No entanto, observou-se uma maior perda de peso no grupo BPYR em 4 anos (p < 0,05).

Em conclusão, os fatores independentemente associados com a perda de peso a longo prazo após a cirurgia bariátrica foram idade e IMC inicial (associação negativa) e BPYR (associação positiva). Mais estudos são necessários para confirmar a perda de eficácia da SG na perda de peso a longo prazo e para determinar os mecanismos subjacentes.

Referência (s)

Parri A, Benaiges D, Schröder H, Izquierdo-Pulido M, Ramón J, Villatoro M. Preoperative predictors of weight loss at 4 years following bariatric surgery. Nutr Clin Pract. 2015;30(3):420-4.

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter