>


Imunonutrição no perioperatório não beneficia pacientes com transplante de fígado

Postado em 17 de outubro de 2014 | Autor: Alweyd Tesser

Um estudo duplo-cego randomizado conduzido por pesquisadores da Nova Zelândia demonstra que uma intervenção nutricional com imunonutrientes no perioperatório de pacientes submetidos ao transplante de fígado (TF) não melhorou o estado nutricional no pré-operatório e nem as taxas de complicações infecciosas no pós-operatório.
 
Os pacientes na lista de espera para o TF (n = 120) foram aleatoriamente distribuídos em dois grupos: imunonutrição (IMN; n=60) e controle (CON; n=60). O grupo IMN foi tratado com 600 mL/dia de um suplemento que contém 1 kcal/ml, 7,5 g de arginina, 2 g de ácidos graxos ômega-3 e 0,8 g de ácido ribonucleico. O grupo CON recebeu a mesma quantidade de um produto com a mesma quantidade calórica, sem os imunonutrientes, formulado especificamente para o estudo. A suplementação foi iniciada no pré-operatório e continuou no pós-operatório imediato e por até 5 dias. O desfecho primário foi a avaliação da proteína corporal total (PCT) através do cálculo do nitrogênio corporal total (NCT); (PCT = NCT x 6,25). A PCT foi avaliada do momento da seleção de pacientes até o momento do TF e depois foi repetida 10, 30, 90, 180 e 360 dias após o transplante. As complicações infecciosas foram registradas nos primeiros 30 dias de pós-operatório.
 
Dezenove pacientes morreram ou foram excluídos do estudo antes do TF, totalizando 52 pacientes no grupo IMN e 49 no grupo CON. Os resultados demonstram que as alterações pré-operatórias de PCT não foram significativas (IMN: 0,06 ± 0,15 kg; CON: 0,12 ± 0,10 kg). Após 30 dias do TF, ambos os grupos demonstraram perda de 0,7 ± 0,2 kg de PCT em relação ao pré-operatório (p < 0,0001) e em 360 dias não houve aumento significativo de PCT em nenhum grupo (IMN: 0,08 ± 0,19 kg; CON: 0,26 ± 0,23 kg). Complicações infeciosas ocorreram em 60% dos pacientes IMN e 57% dos pacientes CON (p = 0,84).
 
“Os resultados deste estudo não mostraram benefício significativo da suplementação com imunonutrientes sobre o estado nutricional e sobre as taxas de complicações infecciosas no pré-operatório, pós-operatório e período de recuperação”, concluem os autores. 
Referência (s)

Plank LD, Mathur S, Gane EJ, Peng SL, Gillanders LK, McIlroy K, et al. Perioperative immunonutrition in patients undergoing liver transplantation: A randomized double-blind trial. Hepatology. 2014. [Epub ahead of print]

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter