Probiótico previne infecção por Clostridium difficile em pacientes transplantados renais

Postado em 17 de junho de 2019 | Autor: Marcella Gava

Lactobacillus plantarum pode ser utilizado como profilaxia durante a antibioticoterapia em pacientes tratados com imunossupressores para prevenção de infecção por Clostridium difficile

Estudo teve como objetivo analisar a efetividade do uso de Lactobacillus plantarum (LP299v) na prevenção de infecção por Clostridium difficile (ICD) em pacientes nefropatas da clínica de nefrologia e transplante. Todos os pacientes da clínica que realizaram antibioticoterapia receberam formulação probiótica rotineiramente para prevenção de diarreia associada a antibiótico ou ICD. A formulação probiótica utilizada em um dos períodos foi Bifidobacterium lactis, Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus delbrueckii, Lactobacillus rhamnosus e Saccharomyces boulardii. Após um período, foi utilizado somente o LP299v na profilaxia de pacientes em antibioticoterapia e terapia imunossupressora, na quantidade de uma cápsula diária contendo 10×109 UFC do LP299v.

Dos 5341 pacientes hospitalizados, 34 foram diagnosticados com ICD e incluídos nesta análise. Quanto maior a idade, maior foi a incidência de ICD. A média de tempo entre aparecimento dos sintomas e diagnóstico da ICD foi de 5 dias, sendo o principal sintoma a diarreia, que ocorreu em todos os pacientes. Sua duração média foi de 9 dias com 5 episódios ao dia. Foi diagnosticado infecção hospitalar em 24 dos pacientes com ICD (71%). Da amostra, 88% dos pacientes reportaram uso de antibióticos nas quatro semanas antecedentes ao aparecimento dos sintomas da ICD, sendo que 68% destes foram tratados com mais de um antibiótico. Antes da iniciação da profilaxia com LP299v, foram diagnosticados 18 pacientes com ICD em um ano. Durante a utilização do LP299v, os casos de ICD foram reduzidos a dois no ano. Após a cessação desta profilaxia, os casos diagnosticados de ICD subiram para 14 em um ano. Assim sendo, a taxa de incidência de ICD reduziu de 10,3 para 1,1 por 1000 pacientes com o uso profilático de LP299v (RR 0.11; p = 0.0003) e aumentou de 1,1 para 7,7 após cessar seu uso (RR 6.93; p = 0.0028).

Dessa forma, os autores demonstraram que o uso rotineiro de Lactobacillus plantarum como profilaxia durante a antibioticoterapia em pacientes tratados com imunossupressores da clínica de nefrologia e transplante pode prevenir infecção por Clostridium difficile.

Referências:

Dudzicz S et al. Lactobacillus plantarum 299v Reduces the Incidence of Clostridium difficile Infection in Nephrology and Transplantation Ward-Results of One Year Extended Study. Nutrients. 2018 Oct 24;10(11).

 

Leia também