Qual é a importância da suplementação de colágeno?

Postado em 22 de junho de 2020 | Autor: Natália Lopes

Colágeno é a mais abundante do nosso corpo, estando presente em cabelos, pele, tendões, músculos e diversos órgãos

O colágeno é a proteína mais abundante no corpo humano, possui função estrutural e está presente na pele, cartilagens, tendões, ossos e outros órgãos. É produzido no tecido conjuntivo, sendo formado principalmente por três aminoácidos, glicina, prolina e hidroxiprolina, que formam uma estrutura de tripla hélice, a partir de uma cadeia que possui mais de 1000 aminoácidos ligados entre si. Essa estrutura faz do colágeno uma proteína rígida, com grande força de tração e capacidade de reter água.

Até hoje, já foram identificados 28 tipos de colágenos, sendo o tipo I, presente na pele, ossos, dentes e tendões, o mais conhecido e abundante no organismo humano. O tipo II está presente nas cartilagens; o tipo III, além da pele, está presente também nos músculos e vasos sanguíneos. Outros tipos encontram-se espalhados em outros órgãos e tecidos e o que os diferencia é a ordem de repetição dos aminoácidos.

A produção endógena de colágeno acontece durante toda a vida, porém a redução da síntese tem início entre 18 e 30 anos, com queda acentuada a partir dos 40 anos. Além do envelhecimento, outros fatores podem contribuir para redução da síntese de colágeno, como aumento da produção de radicais livres, exposição excessiva ao Sol, dieta inadequada, tabagismo, alcoolismo e doenças, com comprometimento, por exemplo, de processos como cicatrização de feridas e reparo tecidual. Os sinais mais visíveis de deficiência de colágeno são observados na pele, a elasticidade é então diminuída e surgem linhas e rugas, tornando a pele cada vez mais fina e seca.

A redução da síntese de colágeno pode ser revertida com a administração oral de peptídeos de colágeno, oriundos da hidrolise enzimática de proteínas naturais de colágeno, extraídas de animais (principalmente boi, porco e peixes). Após a ingestão, eles são metabolizados em di e tripeptídeos bioativos no trato gastrointestinal, que são liberados na corrente sanguínea e acumulados na pele para formar a biomatriz de colágeno, processo dependente de água e outros nutrientes, como a vitamina C. Além disso, os peptídeos de colágeno ligam-se a receptores na membrana dos fibroblastos e estimulam a produção de novo colágeno, elastina e ácido hialurônico.

A suplementação de colágeno tem sido utilizada para manter a pele, cabelos, unhas e tecidos do corpo saudáveis. Esteticamente é capaz de aumentar a firmeza e integridade da pele, suavizar rugas e linhas finas, melhorar a força do cabelo e o crescimento das unhas, mas também tem sido utilizado para fortalecer cartilagens e músculos. Assim, a escolha do suplemento adequado deve considerar a presença de colágeno hidrolisado ou peptídeos de colágeno e também a sua ação esperada, considerando função estética (colágeno tipo I), para cartilagem (tipo II) ou músculos (colágeno tipo III).

Referência:

BOLKE, Liane et al. A Collagen Supplement Improves Skin Hydration, Elasticity, Roughness, and Density: results of a randomized, placebo-controlled, blind study. Nutrients, [s.l.], v. 11, n. 10, p. 2494, 17 out. 2019. MDPI AG.

DINI, Irene et al. Nutricosmetics: a brief overview. Phytotherapy Research, [s.l.], v. 33, n. 12, p. 3054-3063, 3 set. 2019. Wiley.

KISLING, Andrew et al. What is the role of peptide fragments of collagen I and IV in health and disease? Life Sciences, [s.l.], v. 228, p. 30-34, jul. 2019. Elsevier BV.

LEÓN-LÓPEZ, Arely et al. Hydrolyzed Collagen—Sources and Applications. Molecules, [s.l.], v. 24, n. 22, p. 4031, 7 nov. 2019. MDPI AG.

Leia também