fbpx


Açaí melhora estresse oxidativo e status inflamatório em indivíduos com sobrepeso

Postado em 17 de outubro de 2019 | Autor: Marcella Gava

A intervenção incluiu dieta hipocalórica para ambos os grupos + 200g de açaí congelado (Grupo Açaí) ou 200g placebo (Grupo Placebo)

Grupo de pesquisadores brasileiros avaliou os efeitos de dieta hipocalórica associada ao consumo de polpa de açaí (Euterpe oleracea Mart.) sobre o estresse oxidativo, status antioxidante e biomarcadores inflamatórios em indivíduos dislipidêmicos com sobrepeso.

Foram selecionados indivíduos com IMC ≥ 25kg/m², entre 20 e 59 anos, com pelo menos uma alteração no perfil lipídico. 125 indivíduos participaram do estudo randomizado, duplo-cego, placebo controlado e foram randomizados em grupo açaí (GA) ou grupo placebo (GP). A intervenção durou 90 dias e incluiu dieta hipocalórica (DH) para ambos os grupos nos primeiros 30 dias, e DH + 200g de açaí congelado, 154 kcal (GA) ou 200g placebo, 55,4 kcal (GP), para consumo uma vez ao dia no desjejum nos 60 dias restantes. Foram coletados dados sobre ingestão calórica, peso, altura, IMC, circunferência da cintura, circunferência do quadril, razão cintura-quadril, circunferência do pescoço, pressão arterial, e amostras de sangue para análise de glicose, triglicerídeos, colesteróis, vit A e E, e biomarcadores inflamatórios.

A maioria dos participantes foi mulheres com idade média de 39,8 anos. 69 participantes completaram o estudo. A massa corporal (GA p=0.022 e GP p=0.010) e o IMC (GA p=0.015 e GP p=0.006) reduziram em ambos os grupos após a intervenção sendo que o GP apresentou adicional diminuição de circunferência da cintura (p=0.007). Parâmetros bioquímicos não se alteraram nos grupos após intervenção. Houve uma redução significativa nas concentrações de 8-isoprostano (p=0,000), IL-6 (p=0,042) e IFN-ɤ (p=0,001) após os 60 dias de intervenção no GA. No GP houve um aumento nas concentrações de vit A (p=0,045) e redução de vit E (p=0,020) e IFN-ɤ (p=0,008). Quando comparando entre grupos houve uma diferença significativa nos níveis de isoprostanos entre estes (p=0,037), diferença não observada para outros biomarcadores de status antioxidante e inflamatório

Dessa maneira, os autores concluíram que a adição de 200g de polpa de açaí juntamente a dieta hipocalórica reduz o estresse oxidativo e melhora o status inflamatório de indivíduos dislipidêmicos com sobrepeso.

 

Referência:

Aranha LN et al. Effects of a hypoenergetic diet associated with açaí (Euterpe oleracea Mart.) pulp consumption on antioxidant status, oxidative stress and inflammatory biomarkers in overweight, dyslipidemic individuals. Clin Nutr. 2019 Jun 12.

 

Assine nossa newsletter: