>


Consumo de ovo aumenta a absorção de carotenoides

Postado em 30 de outubro de 2015 | Autor: Alweyd Tesser

De acordo com um estudo divulgado no The American Journal of Clinical Nutrition, o consumo de ovo cozido, é uma maneira efetiva de aumentar a absorção de carotenoides de outros alimentos ricos nessas substâncias, como é o caso de uma salada mista de vegetais crus.
 
Os autores afirmam que as gorduras facilitam a absorção de carotenoides, mas que os dados sobre os efeitos da gordura endógena dos alimentos são escassos. Por isso, recrutaram 16 homens saudáveis que consumiram a mesma salada, preparada com 3 g de óleo de canola e nenhum ovo (grupo controle) ou com 75 g de ovo inteiro mexido (1 ovo e meio; grupo “pouco ovo”), ou 150 g de ovo inteiro mexido (3 ovos; grupo “muito ovo”), em um desenho randomizado e cruzado (crossover). 
 
A quantidade de carotenoides totais nas refeições dos três grupos foi de 23 mg no grupo controle, 23,4 mg (0,4 mg proveniente dos ovos) no grupo pouco ovo e 23,8 mg (0,8 mg proveniente dos ovos) no grupo muito ovo e a quantidade de lipídios totais foi de 3 g no grupo controle, 10,5 g (7,5 g provenientes dos ovos) no grupo pouco ovo e 18 g (15 g provenientes dos ovos) no grupo muito ovo.
 
Amostras de sangue foram coletadas a cada hora durante 10 horas e a fração de lipoproteína rica em triacilglicerol (LRT) foi isolada. Os conteúdos totais e individuais de carotenoides (luteína, zeaxantina, alfa-caroteno, betacaroteno e licopeno) nas LRT foram analisados e as áreas sobre a curva (AUC, do inglês, areas under the curve) foram calculadas. 
 
Como resultado, observou-se que a média da AUC em 10h de carotenoides nas LRT foi maior para a refeição rica em ovos quando comparada à que continha pouco ovo e na refeição controle (125,7 ± 19,4; 44,8 ± 9.2; 14,9 ± 5.2b nmol/L em 10 h, respectivamente; p < 0.0001). 
A AUC em 10h para luteína e zeaxantina nas LRT aumentou de 4 a 5 vezes (p < 0,001) e aquela para carotenoides não presentes em ovos (alfa- caroteno, betacaroteno e licopeno), entre 3 a 8 vezes (p < 0,01) para a refeição rica em ovos comparada com a controle. 
 
“Os resultados desse estudo suportam a ideia de que consumir 150 g de ovos (3 ovos) preparados inteiros é uma forma eficaz de aumentar a absorção de carotenoides que não são encontradas em ovos, mas em outros alimento, no nosso caso na salada”, concluem os autores.
Referência (s)

Kim JE, Gordon SL, Ferruzzi MG, Campbell WW. Effects of egg consumption on carotenoid absorption from co-consumed, raw vegetables. Am J Clin Nutr. 2015; 102(1):75-83.

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter