Efeitos da farinha de castanha de caju em crianças desnutridas

Postado em 22 de junho de 2020 | Autor: Marcella Gava

Estudo avaliou os efeitos da suplementação de farinha de castanha de caju sobre parâmetros bioquímicos e antropométricos

Estudo avaliou os efeitos da ingestão de farinha de castanha de caju por crianças com desnutrição moderada tratadas em serviços primários de saúde. Para isso foram selecionadas crianças entre 2 e 5 anos de idade, desnutridas ou com baixo peso de acordo com classificação de IMC pelo z escore da OMS, que frequentavam a unidade básica de saúde local. A farinha de castanha de caju foi produzida a partir da castanha de caju e sua composição era 4,8% de água, 43,2% lipídeos, 14,6% proteínas, 1,2% fibras, 2,6% cinzas e 33,6% carboidratos, num total de aproximadamente 388kcal por 100g. Das crianças randomizadas, 15 receberam a farinha de caju para suplementação de 12g por dia durante 24 semanas e as outras 15 ficaram no grupo controle, no qual não realizaram nenhuma suplementação. Ao início e ao final do estudo foram coletadas amostras de sangue das crianças para análise de glicemia de jejum, hemoglobina (Hb) glicada, triglicerídeos, colesterol total, HDL e LDL. Também foram coletadas informações sociodemográficas e econômicas dos participantes.

A maioria das crianças eram do sexo feminino (53,33% no grupo intervenção e 73,33% no grupo controle) e em ambos os grupos a média de idade foi semelhante (2,93 e 2,46 anos nos grupos intervenção e controle, respectivamente). Após a intervenção, houve diferença significativa na glicemia de jejum no grupo controle, hemoglobina glicada no grupo intervenção, um aumento dos níveis de TG no grupo controle atingindo os valores limites de normalidade (170 a 199mg/dL) enquanto o grupo intervenção manteve valores ótimos para TG (<170mg/dL). As crianças do grupo controle apresentaram redução dos valores de HDL os quais ficaram abaixo dos valores apresentados pelas crianças do grupo intervenção, que apresentaram inclusive aumento dos níveis de HDL ao final do estudo. Houve também uma redução da Hb glicada e do LDL no grupo intervenção, enquanto o LDL aumentou no grupo controle. Os participantes de ambos os grupos apresentaram aumento significativo do peso e altura durante o estudo, sem diferença entre os grupos.

Dessa maneira, os autores concluíram que intervenção nutricional com uso de farinha de castanha de caju durante 24 semanas apresentou efeito positivo sobre Hb glicada, HDL e LDL em crianças moderadamente desnutridas.

Referência: 

Costa ACPJ et al. Effects of Cashew Nut (Anacardium occidentale L.) Seed Flour in Moderately Malnourished Children: Randomized Clinical Trial. J Nutr Metab. 2020; 2020: 6980754.

Leia também