fbpx

Espessura do músculo do quadríceps pode ser utilizada como novo parâmetro de avaliação nutricional em pacientes críticos

Postado em 2 de setembro de 2019 | Autor: Marcella Gava

Obtida por ultrassonografia, a medida foi correlacionada com diversos parâmetros clínicos e nutricionais de pacientes internados na UTI

Ozdemir e colaboradores realizaram estudo para investigar o papel da espessura do músculo quadríceps femoral (EMQF) medido por ultrassonografia (USG) na detecção de risco nutricional em pacientes de terapia intensiva com diferentes parâmetros de volemia.

Foram incluídos pacientes com mais de 18 anos, internados na UTI por mais de 48 horas e coletadas informações demográficas, diagnóstico de admissão na UTI, comorbidades, scores APACHE II, SOFA e mNUTRIC, necessidade de ventilação mecânica e balanço hídrico total. Foram medidos os valores da EMQF com compressão (EMQFmc) e sem compressão (EMQFnc) em ambas as pernas em até 48h da internação.

55 pacientes foram acompanhados, sendo que 37 apresentaram alto risco nutricional e 27 estavam hipervolêmicos. A EMQFmc total (soma da EMQFmc  da perna direita e esquerda) apresentou correlação moderada com mNUTRIC (p=0,001), APACHE II (p=0,007), SOFA (p=0,005), mortalidade (p=0,012), tempo de internação na UTI (p=0,018), necessidade de ventilação mecânica (p=0,006) e sepse (p=0,018). Após análise de regressão logística, a EMQFmc total se associou independentemente com alto risco nutricional (mNUTRIC ≥ 5), sendo que valores de EMQFmc total abaixo de 1,69 cm foram preditores de alto risco nutricional com 61% de sensibilidade e 71% de especificidade. O risco nutricional muito alto (mNUTRIC ≥ 6) foi associado estatisticamente com EMQFmc direito (p=0,015), EMQFmc esquerdo (p=0,0001), EMQFmc total (p=0,002), APACHE II (p=0,0001), SOFA (p=0,0001), presença de infecção (p=0,017), sepse (p=0,001), choque na admissão na UTI (p=0,003), necessidade de VM (p=0,002) e mortalidade (p=0,0001). O EMQFmc total se associou independentemente com risco nutricional muito alto (mNUTRIC ≥ 6), sendo que valores abaixo de 1,36 cm foram preditores de alto risco nutricional com 79% de sensibilidade e 70% de especificidade.

Os autores concluíram que a medida da EMQFmc total pode ser utilizada como um novo parâmetro de avaliação de risco nutricional em pacientes críticos. Assim, pacientes com risco nutricional e/ou que podem se beneficiar de terapia nutricional agressiva podem ser facilmente identificados neste grupo de pacientes.

Referência:

Özdemir U et al. The role of maximum compressed thickness of the quadriceps femoris muscle measured by ultrasonography in assessing nutritional risk in critically-ill patients with different volume statuses. Rev Assoc Med Bras (1992). 2019 Aug 5;65(7):952-958.

Leia também