Excesso de frutose aumenta o risco de asma em crianças

Postado em 6 de julho de 2020 | Autor: Marcella Gava

Nível de escolaridade das mães influenciou no consumo de bebidas açúcaradas

Os autores avaliaram se o excesso de ingestão de frutose estaria associado com o risco de asma na infância. Para isso, eles acompanharam crianças do nascimento até 30 meses, sendo que os dados destas foram analisados entre 12 e 18 meses e novamente entre 18 e 30 meses. A avaliação de presença de asma foi realizada aos 18 e 24 meses de acordo com diagnóstico médico. Nas avaliações foram aplicados questionários sobre hábitos alimentares que incluíam a frequência do consumo de suco de frutas, refrigerantes, bebidas esportivas e bebidas a base de frutas.

A bebida mais consumida foi suco 100% fruta (23,3% das crianças) mais que 1x ao dia, enquanto refrigerantes/bebidas esportivas/bebidas a base de frutas foram consumidos por 6,2% destas com a mesma frequência. Refrigerantes/bebidas esportivas/bebidas a base de frutas foram consumidas nunca ou ≤ 2,5x/semana por 82,2% das crianças enquanto suco 100% fruta foi consumido por 46,9% das crianças na mesma frequência. Um quinto das crianças consumiam refrigerantes/bebidas esportivas/bebidas a base de frutas 3-7x/semana; 91,7% das crianças não eram expostas a tabaco em ambientes fechados; 9,1% consumiam fast food ≥4x/semana; somente 39,2% consumiam vegetais mais que uma vez ao dia, sendo que as crianças que mais consumiam as bebidas (3-7x/semana) eram as que menos ingeriam vegetais (≤2,5x/semana). O consumo regular de qualquer tipo das bebidas citadas não se correlacionou com sobrepeso. Os filhos de mães com ensino superior consumiam menos refrigerantes/bebidas esportivas/bebidas a base de frutas em comparação aos filhos de mães com menor nível de escolaridade. A ingestão moderada a diária (3-7x/semana) de qualquer dos tipos de bebidas se associou a 1,5 e 2 vezes mais risco relativo de ter asma do que crianças que consumiam estas bebidas ocasionalmente (≤2,5x/semana), e a ingestão mais que 1x/dia aumentou o risco de 2 a 3 vezes do que ocasionalmente.

Assim, os autores concluem que o excesso de ingestão de bebidas ricas em frutose livre parece estar relacionado com a ocorrência de asma em crianças na primeira infância.

Referência:

DeChristopher LR & Tucker KL. Excess free fructose, apple juice, high fructose corn syrup and childhood asthma risk – the National Children’s Study. Nutr J. 2020; 19: 60.

 

Leia também