fbpx

Fitoterápico pode melhorar dificuldade reprodutiva associada à obesidade

Postado em 10 de junho de 2019 | Autor: Marcella Gava

Extrato hidroetanólico das folhas da Syzigium cumini (Jambolão) auxilia na recuperação de parâmetros metabólicos e parâmetros reprodutivos em cobaias obesas

Sabendo que a obesidade pode levar à redução da ovulação e a menores chances de concepção em doenças como a síndrome do ovário policístico, estudo realizado no Maranhão-BR avaliou a utilização do extrato hidroetanólico das folhas da Syzigium cumini (Jambolão) em femeas com dificuldade reprodutiva decorrente de obesidade.

Cobaias fêmeas foram submetidas ao processo de obesidade induzido por injeções de glutamato monossódico (grupo obesidade), e o grupo placebo (grupo magro) recebeu solução salina (SS). Aos 90 dias de idade, o grupo obesidade foi dividido em dois grupos: um recebeu solução salina (grupo OSS) e outro recebeu o extrato de S. cumini (SCE – 500mg/kg/dia); o grupo magro continuou recebendo solução salina. Todos receberam as soluções durante 30 dias. Parâmetros como glicemia, triglideridemia e colesterolemia; estradiol, testosterona, hormônio luteinizante; tecido adiposo retroperitoneal e periovariano foram avaliados.

No grupo obesidade, durante a administração de SCE o peso se manteve estável e a massa corporal se equiparou ao grupo magro, enquanto que no grupo OSS houve aumento de peso e de massa corporal. Os animais do grupo obesidade apresentaram aumento do tecido adiposo retroperitoneal e periovariano comparados ao grupo magro. As cobaias tratadas com SCE tiveram uma menor deposição de gordura retroperitoneal, porém sem alteração no tecido periovariano. Os ratos OSS apresentaram glicemia de jejum, intolerância a glicose e colesterol mais altos, enquanto o grupo SCE apresentou valores semelhantes ao grupo magro.

Os ciclos de cio também foram monitorados, sendo que os animais do grupo obesidade apresentaram oligociclos, e o grupo magro ciclos normais. O grupo obesidade apresentou mais irregularidade e maior duração dos ciclos, e o tratamento com SCE não alterou estes eventos. Por outro lado, tratamento com SCE aumentou a proliferação dos folículos primordiais e melhorou a saúde folicular. As cobaias obesas apresentaram hipertrofia de adipócitos no tecido adiposo periovariano em relação ao grupo magro, entretanto o SCE reduziu o tamanho dos adipócitos ao tamanho dos do grupo magro.

Com isso, os autores verificaram a possibilidade de reversibilidade da disfunção reprodutiva através do uso de Syzigium cumini em cobaias, apresentando-o como uma ferramenta no tratamento de desordens metabólicas e reprodutivas.

 

Referência:

Benevides ROA et al. Syzygium cumini (L.) Skeels improves metabolic and ovarian parameters in female obese rats with malfunctioning hypothalamus-pituitary-gonadal axis. J Ovarian Res. 2019 Feb 4;12(1):13.