fbpx

Impacto do IMC sobre aleitamento materno

Postado em 26 de outubro de 2020 | Autor: Roberta Ciudi

Leite materno de mães com sobrepeso apresentou maiores concentrações de gordura e proteína do que carboidrato

A composição do leite materno é variável ao longo da lactação e de mãe para mãe, devido a diferenças genéticas, nutricionais e fatores ambientais maternos. A composição corporal materna também pode influenciar a presença de fatores não-nutritivos e bioativos do leite, interferindo nas concentrações de insulina, leptina e citocinas, por exemplo.

O presente estudo teve como objetivo analisar a relação entre o IMC materno sobre a ingestão energética de recém-nascidos recebendo aleitamento materno, a partir de 2 semanas de vida até 9 meses pós-parto. A concentração de macronutrientes e fatores não-nutritivos no leite humano também foi avaliada; relacionando, por fim, a composição do leite materno com a composição corporal destes recém nascidos.

Foram selecionadas mães que não apresentavam condições clínicas pré-existentes, divididas em dois grupos: Sobrepeso ou Peso Normal.

Composição do leite materno

Os autores observaram que o leite materno de mães com sobrepeso apresentou maiores concentrações de gordura e proteína do que carboidrato em alguns períodos de avaliação, quando comparados ao leite de mães com peso normal. As concentrações de leptina também foram maiores durante toda lactação, enquanto as concentrações de insulina e PCR foram altas na maioria das avaliações para mães com sobrepeso.

As diferenças na exposição do recém-nascido a macronutrientes e outros compostos bioativos durante os 9 meses pós-parto pode ser associada com mudanças nos parâmetros de crescimento e desenvolvimento. Porém, maior efeito foi observado em relação à exposição à insulina e leptina, sendo que os filhos de mães com sobrepeso foram expostos a concentrações 1,5 a 2,5 maiores que os filhos de mães com peso normal.

Conclusão dos autores

Os resultados demonstraram que filhos de mães com sobrepeso são expostos a maiores quantidades de insulina e leptina, e em quantidade um pouco menor, PCR. Porém, a biodisponibilidade destes 3 compostos bioativos no leite materno ainda é desconhecida, e seus mecanismos de ação sobre o recém-nascido ainda precisam ser elucidados.

Referência

Sims, C., Lipsmeyer, M., Turner, D., & Andres, A. Human Milk Composition Differs by Maternal BMI in the First 9 Months Postpartum. Current Developments in Nutrition, 4 (Supplement_2).2020.

Leia também