>


Influência da alimentação em desfechos de pacientes com câncer colorretal

Postado em 12 de junho de 2018 | Autor: Marcella Gava

Fatoresdietéticos e comportamentais têm papel crucial no desenvolvimento e noprogresso de diversas doenças crônicas, incluindo o câncer colorretal.

Estudopretendeu identificar padrões de dietas antes do diagnóstico do CRC e avaliar ecomparar a associação destes padrões com o desfecho da doença (mortalidadetotal – OM, e mortalidade, metástase e recorrência combinados – cMRM).

Osparticipantes responderam a um questionário de frequência alimentar validado,um questionário de historia pessoal e familiar e histórico medicamentoso. Osalimentos ingeridos foram separados em grupos e classificadas em relação ao seupotencial inflamatório. Foram calculados os nutrientes ingeridos  e colhidos dados sobre IMC e atividadefísica.

532 pacientes com diagnóstico de câncercolorretal foram avaliados. Destes, 170 morreram e 29 tiveram recorrência oumetástase durante o período de estudo, que foi, em média, 6 anos. Foramestabelecidos quatro tipos de padrões alimentares. Quando comparado ao padrãode referência (elevado consumo de frutas, vegetais, grãos integrais, peixe evinho), o padrão com alto consumo de carne e derivados apresentou um riscoaumentado de cMRM (HR 2.19). O padrão alimentar caracterizado por alto consumode grãos refinados, bebidas açucaradas e refrigerantes apresentou um riscoaumentado tanto para cMRM (HR 1.95) quanto para OM (HR 2.05). O padrãocaracterizado por consumo de vários tipos de gordura, sem item alimentardominante, não apresentou relação significativa com cMRM ou OM.

Dessa maneira,os autores concluíram que a ocorrência de OM e cMRM em pacientes com câncercolorretal pode variar de acordo com o padrão alimentar adotado pelo indivíduo,evidenciando a importância dos cuidados relacionados à nutrição.

 

Referência:

Sharma I et al. Hypothesis
and data-driven dietary patterns and colorectal Cancer survival: findings from
Newfoundland and Labrador colorectal Cancer cohort
. Nutr J.
2018; 17: 55.

 

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter