>


Ingestão de chá mate aumenta a proteção antioxidante em pacientes com dislipidemia

Postado em 25 de maio de 2012 | Autor: Rita de Cássia Borges de Castro

Estudo publicado na revista Nutrition por pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina concluiu que a ingestão de chá mate aumenta a proteção antioxidante em pacientes com dislipidemia.

Trata-se de um estudo clínico randomizado que avaliou 74 indivíduos dislipidêmicos maiores de 18 anos de idade. A dislipidemia foi caracterizada de acordo com as “IV Diretrizes Brasileiras de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose”, tendo um desses parâmetros alterados: colesterol total (CT) ≥200mg/dL ou LDL-colesterol (lipoproteína de baixa densidade) ≥130mg/dL ou colesterol HDL-colesterol (lipoproteína de alta densidade) ≤40mg/dL para mulheres, ou ≤50mg/dL para os homens.

Inicialmente, os participantes passaram por 30 dias de monitoramento bioquímico, antropométrico e dietético. Após esse período, os indivíduos foram divididos aleatoriamente em três grupos: chá mate (n=23); chá mate associado com intervenção dietética (n=25); e somente intervenção dietética (n=26).

Os pacientes dos grupos chá mate e chá mate mais intervenção dietética receberam folhas picadas de erva-mate comercial torradas e foram instruídos para o preparo das infusões. Após 10 minutos de infusão, o chá foi filtrado e consumido imediatamente, sem açúcar ou quaisquer substâncias para adoçar, sendo orientados para beber 330 ml de chá mate três vezes por dia, principalmente com as refeições (café da manhã, almoço e jantar), totalizando cerca de 1L por dia durante 90 dias.

Os indivíduos dos grupos que foram submetidos a intervenção dietética receberam aconselhamento nutricional para aumentar o consumo de frutas, legumes e verduras. Eles também foram instruídos a reduzir o consumo de alimentos ricos em colesterol, ácidos graxos saturados e trans. Todos os participantes foram avaliados no início do estudo, bem como em 20, 40, 60 e 90 dias após o início do estudo.

Os três tratamentos promoveram o aumento dos níveis séricos de glutationa reduzida (GSH), um marcador de atividade antioxidante, mas o grupo chá mate apresentou um maior aumento quando comparado com os outros grupos (21,7%, p<0,05). Além disso, o potencial antioxidante de redução do ferro (FRAP), outro marcador de atividade antioxidante, aumentou significativamente (p<0,05) apenas nos grupos com chá mate após 90 dias de intervenção. Houve também redução significativa nos níveis de LDL-colesterol apenas no grupo chá mate, que reduziu de 160,2 ± 5,7 mg/dL para 150,1 ± 4,8 mg/dL (p<0,05).

“Os resultados deste estudo demonstraram um aumento na capacidade antioxidante em indivíduos dislipidêmicos após a ingestão de chá mate em longo prazo, sugerindo que este pode apresentar efeitos benéficos na prevenção de doenças cardiovasculares nesses pacientes. No futuro, intervenções dietéticas e estudos de longo prazo devem ser realizados para avaliar o efeito antioxidante de erva-mate na prevenção de doenças cardiovasculares”, concluem os autores.

 

Referência (s)

Boaventura BC, Di Pietro PF, Stefanuto A, Klein GA, de Morais EC, de Andrade F, et al. Association of mate tea (Ilex paraguariensis) intake and dietary intervention and effects on oxidative stress biomarkers of dyslipidemic subjects. Nutrition. 2012;28(6):657-64.

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter