>


Jogos ativos de videogame não substituem atividade física

Postado em 4 de dezembro de 2015 | Autor: Alweyd Tesser

Um estudo publicado no British Journal of Nutrition demonstrou que a ingestão alimentar de adolescentes eutróficos (com peso corporal dentro da faixa de normalidade) é menor após uma sessão de exercícios físicos quando comparada a uma sessão de jogos ativos de videogame.
 
Conduzido por Chaput e colaboradores, trata-se de um estudo cross-over, do qual participaram 12 meninos eutróficos e 12 meninos obesos com idade entre 12 e 15 anos. Todos os participantes foram submetidos a quatro sessões de 1 hora das seguintes atividades: controle (sentado), videogame passivo (jogo de boxe no Xbox 360®), videogame ativo [jogo de boxe no Kinect Xbox 360® (Kinect é uma câmera para Xbox 360 que capta os movimentos do jogador e utiliza infravermelho para transformar o espaço em 3D, dispensando o uso de controle)] e exercício (EX – ciclismo).
 
Os exercícios e as atividades de videogame ativo foram projetados para gerar o mesmo gasto energético, que foi medido através de calorimetria indireta. A ingestão alimentar e apetite foram avaliados após cada sessão.
De acordo com os resultados, o gasto energético do videogame ativo e do exercício foi significativamente maior nos participantes obesos e significativamente maior em comparação com controle e videogame passivo em ambos os grupos. Os participantes obesos comiam significativamente mais do que os eutróficos em todas as atividades (p<0,001). 
 
A ingestão calórica não diferiu entre as condições nos participantes obesos e foi significativamente inferior em participantes eutróficos após o exercício (680,44 kcal) em comparação com o videogame passivo (855,64 kcal) e videogame ativo (832,93 kcal) (p<0,05).
 
O apetite foi significativamente mais elevado, e a saciedade foi menor nos participantes obesos, mas nenhum efeito foi observado nas atividades. 
 
“No geral, o exercício de intensidade moderada proporciona melhor efeito sobre o balanço energético do que uma hora isoenergética (com o mesmo gasto energético) de jogos de videogame ativos em meninos adolescentes eutróficos, afetando duplamente o gasto energético e a ingestão alimentar”, concluem os autores.
Referência (s)

Chaput JP, Tremblay A, Pereira B, Boirie Y, Duclos M, Thivel D. Food intake response to exercise and active video gaming in adolescents: effect of weight status. Br J Nutr. 2015 [Epub ahead of print]

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter