>


Guias alimentares da dieta vegetariana

Postado em 9 de agosto de 2023

A dieta vegetariana é endossada por diversos órgãos de saúde, e muitos materiais para este público já foram elaborados até então.

A adoção de uma dieta vegetariana tem crescido cada vez mais. Em 2018, segundo o IBOPE, 14% da população brasileira optava por esta alimentação. Tendo em vista o aumento crescente do vegetarianismo, guias alimentares focados nesta população são essenciais para a promoção de uma dieta vegetariana saudável e equilibrada.

Dieta Vegetariana

Foto: Shutterstock.com

A seguir, entenda a importância dos guias alimentares vegetarianos e conheça sua trajetória ao longo do tempo, até chegarmos aos materiais de hoje.

Órgãos de saúde apoiam a dieta vegetariana

Quando pensamos em vegetarianismo, diversos órgãos de saúde endossam que a alimentação vegetariana pode ser seguida em qualquer fase da vida. Instituições que apoiam a alimentação vegetariana incluem:

  • American Heart Association (AHA);
  • Food and Drug Administration (FDA);
  • Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA);
  • Kids Health (Nemours Foundation);
  • College of Family and Consumer Sciences (University of Georgia);
  • Associação Dietética Americana (ADA).

Não é à toa que a dieta vegetariana recebe o apoio destas prestigiadas entidades. O vegetarianismo promove inúmeros benefícios à saúde. O mais notável, porém, é a sua capacidade de diminuir a incidência de doenças crônicas não transmissíveis. São exemplos: diabetes mellitus tipo 2, doenças cardiovasculares e até mesmo alguns tipos de cânceres.

Isso ocorre pois essa alimentação é baseada em alimentos vegetais, naturais, integrais, com um baixo consumo de gorduras saturadas e isenta de colesterol. Entretanto, por ser um padrão alimentar diferente do tradicional, os guias alimentares são uma ferramenta fundamental para a orientação nutricional.

A trajetória dos guias alimentares vegetarianos

Por muito tempo, médicos, nutricionistas e profissionais da área da saúde tinham que se embasar em poucas orientações dadas por posicionamentos de academias de nutrição e saúde, além de estudos científicos. Muitas vezes, a escassez de informações dificultava as orientações na prática clínica.

Contudo, nos últimos tempos, a dieta vegetariana têm recebido a devida atenção, e muitos materiais de educação nutricional foram elaborados para este público. Estas ferramentas servem para dar suporte tanto aos profissionais, quanto para a população geral.

Em 2012, o departamento de saúde e nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) lançou o primeiro guia alimentar vegetariano brasileiro, o Guia Alimentar de Dietas Vegetarianas para Adultos. Neste material, é abordado um pouco mais a fundo sobre alguns pontos e nutrientes chaves para a alimentação vegetariana.

Em 2017, a médica Luciana Baroni desenvolveu o VegPlate, um guia alimentar para vegetarianos voltado para a população italiana. A partir do VegPlate, a autora desenvolveu outros guias para esse público, como o VegPlate Mommy, VegPlate Junior e o VegPlate 50+, guias para gestantes, crianças e idosos vegetarianos. Em 2023, Luciana finalizou o guia VegPlate para atletas.

Já em 2021, o médico Eric Slywitch lançou o Guia de Nutrição Vegana para adultos, o qual aborda diversos aspectos que envolvem a alimentação vegetariana, além de conteúdos mais técnicos para os profissionais da área da saúde.

De modo geral, os guias existentes abordam alguns nutrientes de atenção para a dieta vegetariana, como vitamina B12, cálcio, ferro, proteínas e zinco. Estes são os pontos que mais geram dúvidas quando se pensa em uma alimentação baseada em plantas.

Conclusão

Atualmente, já é vasto o conhecimento que embasa a segurança e efetividade da dieta vegetariana. Essa base sólida é reforçada pelos posicionamentos e endossos de renomados órgãos de saúde. Além disso, novos guias alimentares permitem o fácil acesso a informações completas e atualizadas sobre a dieta vegetariana.

Dessa forma, não há motivos para que profissionais de saúde se restrinjam a paradigmas ultrapassados e não considerem a dieta vegetariana como uma alternativa benéfica para a saúde. A atualização constante é fundamental para desempenhar um papel ativo na melhoria da qualidade de vida dos pacientes que adotam este estilo alimentar.

Se você gostou deste artigo, leia também:

Referências:

Academy Of Nutrition Dietetics (AND). Position of the Academy of Nutrition and Dietetics: Vegetarian Diets. Journal of the American Diet Association, v. 116, n. 12, 2016.

AGNOLI, C., et al., Position paper on vegetarian diets from the working group of the Italian Society of Human Nutrition. Nutr Metab Cardiovasc Dis, 2017. 27(12): p. 1037-1052

American Heart Association (AHA). Heart and stroke encyclopedia: vegetarian diets. 2020

IBOPE, Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística. Pesquisa de opinião pública sobre vegetarianismo – Apresentação dos resultados. 2018

Cadastre-se e receba nossa newsletter