>


O que é irisina e por que ela é considerada um novo alvo para o tratamento da obesidade e diabetes?

Postado em 5 de julho de 2013 | Autor: Rita de Cássia Borges de Castro

A irisina é um peptídeo secretado pelo tecido muscular, que foi descoberto recentemente, em janeiro de 2012, por Bostrom e colaboladores da Universidade de Harvard. O gene que codifica a irisina foi denominado FNDC5 (do inglês, fibronectin type III domain containing 5).

Os pesquisadores descobriram que durante o exercício físico ocorre o aumento da proteína PGC1-alfa (do inglês, peroxisome proliferator-activated receptor γ coactivator1-alfa), que estimula a síntese de irisina pelo músculo. A irisina chega, então, ao tecido adiposo branco para estimular a produção da proteína desacopladora-1 (UCP-1, também conhecida como termogenina), transformando o tecido adiposo branco (cuja principal função é o armazenamento de gordura) em tecido adiposo marrom, que tem como principal função a atividade termogênica.

O fato de a irisina transformar o tecido adiposo branco em marrom tem ganhado bastante atenção por diversos cientistas do mundo. O tecido adiposo marrom está relacionado com redução da adiposidade global e menor susceptibilidade para o ganho de peso em humanos. Assim, o tecido adiposo marrom adquiriu relevância devido seu potencial contra a obesidade e doenças associadas, como o diabetes tipo 2.

Em estudo realizado em camundongos sedentários, obesos e com sintomas de pré-diabetes, pesquisadores injetaram pequenas doses de irisina. Após dez dias, os animais tiveram os níveis sanguíneos de glicose e insulina normalizados, além da perda de peso. Estudos experimentais subsequentes demonstraram que a irisina aumentou o gasto energético total, aumentou a expectativa de vida, reduziu o peso corporal e melhorou a resistência à insulina.

Entretanto, esses efeitos promissores ainda devem ser confirmados em estudos com seres humanos para que se possa identificar a irisina como um novo alvo para o tratamento da obesidade e suas comorbidades.

Leia mais:

Qual a diferença entre tecido adiposo branco e marrom?

Qual a diferença metabólica entre o tecido adiposo abdominal subcutâneo e visceral?

 

Bibliografia

Boström P, Wu J, Jedrychowski MP, Korde A, Ye L, Lo JC, et al. A PGC1-α-dependent myokine that drives brown-fat-like development of white fat and thermogenesis. Nature. 2012;481(7382):463-8.

Sanchis-Gomar F, Lippi G, Mayero S, Perez-Quilis C, García-Giménez JL. Irisin: a new potential hormonal target for the treatment of obesity and type 2 diabetes. J Diabetes. 2012;4(3):196.

Elbelt U, Hofmann T, Stengel A. Irisin: what promise does it hold? Curr Opin Clin Nutr Metab Care. 2013 Jun 24. [Epub ahead of print]

Moreno-Navarrete JM, Ortega F, Serrano M, Guerra E, Pardo G, Tinahones F, et al. Irisin is expressed and produced by human muscle and adipose tissue in association with obesity and insulin resistance. J Clin Endocrinol Metab. 2013;98(4):E769-78.

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter