fbpx

Ação de Fitoterápicos/ Óleos Essenciais no tratamento da Doença de Lyme

Postado em 14 de dezembro de 2018 | Autor: Marcella Gava

Estudo identificou 34 óleos essenciais com forte atividade contra B. burgdorferi, bactéria causadora da Doença de Lyme

óleos essenciais

Doença de Lyme é causada pela bactéria Borrelia burgdorferi transmitida por carrapato, e que tem como sinais e sintomas fadiga, dores musculoesqueléticas e sintomas neuropsiquiátricos.

Estudo objetivou identificar fitoterápicos (óleos essenciais) com forte atividade contra B. burgdorferi. Para isso, a bactéria foi cultivada e, após 7 dias de incubação, foram aplicados os óleos diluídos em água e mantidos em incubadora por mais sete dias. Os resultados foram comparados à utilização de antibióticos (doxiciclina, cefuroxima e daptomicina). Foi avaliada a viabilidade celular após aplicação dos óleos através da relação bactérias vivas e mortas nas culturas.

Os autores verificaram que 34 dos 35 óleos essenciais avaliados a uma concentração de 0,2% mostraram atividade significativamente mais forte (p <0,05) do que a doxiciclina. Entre eles, 16 óleos essenciais e o óleo essencial da casca de canela (CC) a 0,2% apresentaram forte atividade contra a cultura de B. burgdorferi em fase estacionária em comparação aos antibióticos de controle (doxiciclina, cefuroxima e daptomicina), sendo capazes de erradicar todas as células vivas da cultura. Na concentração de 0,1%, 10 óleos essenciais (Allium sativum L. – alho, Pimenta officinalis Lindl. – Pimenta Dioica, Cuminum cyminum L. – Cominho, Cymbopogon martini var.Commiphora myrrha – Mirra, Hedychium spicatumAmyris balsamiferaThymus vulgaris L. – tomilho, Litsea cubeba, Eucalyptus citriodora), e CC ainda exibiu atividade significativa (p <0,05) sobre a doxiciclina. Os óleos essenciais mais ativos foram os de Alho, Pimenta Dioica, Cominho, Cymbopogon martinii, Mirra e Hedychium spicatum devido à sua notável atividade mesmo a 0,1%.  Em concentração muito baixa (0,05%), alho, pimenta, Cymbopogon martinii e CC ainda exibiram forte atividade contra a fase estacionária B. burgdorferi, apresentando também forte atividade contra a replicação de B. burgdorferi numa concentração de 0,02%.

Dessa forma, os autores concluíram que alguns óleos essenciais têm forte atividade contra
B. burgdorferi. Os mais ativos são alho, pimenta, mirra Hedychium spicatum e Litsea cubeba. Entre eles, o óleo de alho pode erradicar completamente a fase estacionária da B. burgdorferi sem regeneração a 0,05%, e os outros poderiam atingir a mesma atividade a 0,1%. Além disso, o cinamaldeído foi identificado como sendo o composto ativo do óleo de casca de canela com atividade forte contra a B. burgdorferi. Estudos futuros são necessários para determinar se esses óleos essenciais podem erradicar a infecção persistente de B. burgdorferiin vivo.

Referência:

Feng J et al. Identification of Essential Oils with Strong Activity against Stationary Phase Borrelia burgdorferi. Antibiotics (Basel). 2018 Oct 16;7(4).