>


Alergias aumentam o risco de anemia em crianças

Postado em 31 de janeiro de 2023

A anemia é uma condição muito comum em crianças. Seus principais fatores de risco incluem prematuridade, desnutrição, perda de sangue e consumo de leite de vaca. Alguns estudos recentes, porém, sugerem que as alergias também podem aumentar o risco da anemia infantil.

Alergias e risco de anemia em crianças

Sendo assim, uma nova pesquisa japonesa teve como objetivo investigar a associação entre essas duas condições. Será que houve alguma relação? Continue lendo para descobrir.

Metodologia: 80.943 crianças analisadas

Neste estudo de coorte, o objetivo foi avaliar se crianças com doenças alérgicas, diagnosticadas aos 2 anos de idade, tinham maior risco de desenvolver anemia, aos 3 anos de idade.

Para isso, foi utilizado o Japan Environment and Children’s Study (JECS), a maior coorte de nascimentos no Japão, com dados de 80.943 crianças. O JECS realizou questionários e exames médicos para obter dados socioeconômicos e de saúde sobre mulheres grávidas e seus filhos.

As doenças alérgicas foram definidas de acordo com o International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC), ou então uma condição relatada e diagnosticada pelo médico. Toda e qualquer alergia foi considerada, incluindo asma, dermatite atópica, rinite alérgica, e as alergias alimentares.

Já para a anemia, esta foi definida por uma resposta positiva à pergunta: “seu filho já foi diagnosticado com anemia por um médico desde os 2 anos de idade?”.

A associação entre anemia e distúrbios alérgicos foi avaliada com um modelo de regressão logística e análise de escore de propensão.

A alergia aumentou o risco de anemia

No geral, 34.967 (43,7%) crianças sofriam de alergia na coorte do estudo. Além disso, a anemia aos 3 anos de idade foi relatada em 282 (0,3%) crianças.

Após ajuste de possíveis fatores de confusão, crianças com qualquer tipo de alergia tiveram quase duas (1,8) vezes mais probabilidade de desenvolver anemia aos 3 anos do que crianças não alérgicas. Além disso, quanto maior o número de alergias comórbidas que uma mesma criança apresentasse, o risco de desenvolver anemia aumentava ainda mais (2,84 vezes maior).

Os resultados do presente estudo estão de acordo com dados anteriores. Em uma outra pesquisa transversal com uma população pediátrica asiática, relatou-se associação semelhante entre doenças atópicas e anemia.

Relação anemia x alergias: quais são os motivos?

Segundo os autores, as razões para o aumento da anemia em crianças com doenças alérgicas não são completamente compreendidas.

Entretanto, sabe-se que crianças com doenças alérgicas correm o risco de desenvolver inflamação crônica, que pode causar a “anemia de doença crônica”. Este mecanismo envolve a inibição da diferenciação das células eritróides, encurtamento da meia-vida dos eritrócitos, e supressão da resposta da eritropoetina à anemia.

Além disso, a restrição de alimentos suspeitos em crianças alérgicas pode causar múltiplas deficiências nutricionais. Pesquisas indicam que a alergia ao trigo e à soja aumentam a inadequação de ferro, zinco e vitamina B6. Como sabemos, a deficiência de ferro é uma das grandes causas da anemia ferropriva.

Conclusão

No geral, os achados indicam que as doenças alérgicas aumentam o risco de anemia em crianças.

O estudo destaca a importância da triagem, do monitoramento e do manejo da anemia em crianças alérgicas, considerando o alto risco de efeitos negativos para o crescimento e desenvolvimento infantil.

Mais pesquisas são necessárias para elucidar os mecanismos fisiopatológicos que unem as duas condições.

Clique aqui para ler a pesquisa completa.

Referência

YANG, Limin et al. Allergic Disorders and Risk of Anemia in Japanese Children: Findings from the Japan Environment and Children’s Study. Nutrients, v. 14, n. 20, p. 4335, 2022.

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter