>


Variação de glicose sanguínea tem relação independente com mortalidade em pacientes críticos

Postado em 13 de junho de 2014 | Autor: Raquel Susana Matos de Miranda Torrinhas

“Variação de glicose sanguínea está associada à mortalidade e é fator de risco independente de hipoglicemia, idade, gravidade da doença, e co-morbidades”, assim concluem os autores de um estudo publicado na revista Critical Care que investigou o coeficiente de variação de glicose no sangue como um preditor independente de mortalidade em pacientes críticos.  O estudo visou fornecer dados que pudessem contribuir para entender evidências científicas conflitantes sobre o controle da glicose em pacientes criticamente enfermos e faz parte do estudo Nice-sugar (Normoglycaemia in Intensive Care Evaluation and Survival Using Glucose Algorithm Regulation).

Para estudar a variação de glicose sanguínea, os autores valeram-se do uso de um protocolo eletrônico para gerenciamento de insulina intravenosa (eProtocol de insulina), com alta adesão e reprodutibilidade clínicas. A pesquisa envolveu oito hospitais e avaliou retrospectivamente 6.101 pacientes críticos adultos que receberam insulina intravenosa, selecionados a partir de critérios específicos que excluíram indivíduos com cetoacidose diabética, com menos que 24 horas de seguimento com eProtocol ou com menos de 10 medições de glicose.

Os pacientes foram divididos em diabéticos e não-diabéticos para a avaliação da mortalidade de 30 dias, bem como a influência de sexo, idade, hipoglicemia (<60 mg/dL), gravidade da doença, variação glicêmica e co-morbidades sobre esse desfecho clínico. Para estudo de co-morbidades os autores utilizaram o índice Charlson de co-morbidade e para avaliar a gravidade da doença foi usado o escore de fisiologia aguda. A análise da variação glicêmica foi feita pelo seu coeficiente, calculado a partir de seu desvio padrão/média.

Os dados encontrados demonstraram associação entre coeficiente de variação glicêmica e mortalidade de 30 dias, independentemente de hipoglicemia, idade, gravidade da doença e co-morbidades. A associação foi maior em pacientes não-diabéticos do que em pacientes diabéticos. Os autores acreditam ser pouco provável que essas observações sejam resultado da variação inter-médico, já que eles padronizaram decisões médicas com o uso do eProtocol de insulina.  “Uma questão clinicamente relevante é se a redução da variabilidade glicêmica irá melhorar desfechos clínicos. A resposta a essa pergunta vai exigir um estudo prospectivo que vise reduzir a variabilidade glicêmica”, comentam os autores.

 

Referência (s)

Lanspa MJ, Dickerson J, Morris AH, Orme JF, Holmen J, Hirshberg EL. Coefficient of glucose variation is independently associated with mortality in critically ill patients receiving intravenous insulin. Crit Care. 2014 Apr 30;18(2):R86. [Epub ahead of print]

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter