fbpx


Aleitamento materno e sua relação com sobrepeso mesmo em crianças expostas ao vírus HIV

Postado em 20 de janeiro de 2021 | Autor: Marcella Gava

Aleitamento materno é fator de proteção para obesidade

Evidências sobre a associação entre amamentação e obesidade infantil tardia e hipertensão arterial (HA) são inconsistente, especialmente em áreas com prevalência de HIV onde mulheres foram desencorajadas a amamentar devido à alta prevalência de HIV, entanto a obesidade é cada vez mais prevalente. Os autores descreveram nesse estudo a prevalência dos fatores de risco para doenças crônicas a partir da duração da amamentação e a associação da amamentação sustentada a esses resultados, além de avaliar as diferenças nas taxas de amamentação ou efeitos da exposição ao HIV.

Para isso, foram incluídas crianças de 7 a 11 anos HIV-, filhos de mães HIV- ou HIV+ seleccionados previamente em outro estudo, no qual verificou-se que o aleitamento materno exclusivo em mães HIV+ reduziu o risco de contaminação do lactente em comparação com aleitamento misto, e no grupo controle desse estudo, com crianças que receberam aleitamento materno exclusivo. Foram coletadas medidas antropométricas destes (peso, altura, % de gordura corporal estimada) e pressão arterial (PA).

O estudo contou com 1536 crianças, sendo que 477 foram expostas ao HIV, 1057 não expostas e 278 contaminados por HIV, apresentando idade média de 9,3 anos e idade materna de 36 anos. Desses, 12% amamentaram menos de 1 mês, 6% entre 1 e 5 meses, 22% entre 6 e 11 meses e 60% mais que 12 meses, sendo que as crianças não expostas ao HIV apresentaram uma tendência a serem amamentados por mais de 12 meses. A prevalência de  Sobrepeso e obesidade foram mais comuns em crianças amamentadas por menos de 1 mês. A duração do aleitamento materno se associou fortemente ao sobrepeso, uma vez que parar o aleitamento materno entre 6 e 12 meses reduziu o risco de sobrepeso em 50% em comparação ao aleitamento por 1 mês ou menos (p=0,027). Crianças com mães obesas apresentaram 5 vezes mais chance de serem obesas quando comparadas a mães com peso normal (p<0,001). Crianças amamentadas por mais de 12 meses apresentaram probabilidade de 6% de serem obesas, enquanto crianças que foram amamentadas por menos de 1 mês apresentaram uma probabilidade de 13%. Não houve associação entre tempo de aleitamento materno ou exposição ao HIV com a prevalência de HA.

Dessa maneira, o estudo confirmou e quantificou a associação entre aleitamento materno e sobrepeso, mostrando que amamentar por no mínimo 6 meses foi associado a metade do risco de desenvolvimento de sobrepeso em crianças entre 7 e 11 anos. Apesar do aleitamento com HA ter mostrado uma tendência a associação, esta não foi significativa. Tanto crianças filhas de mães HIV positivas ou negativas apresentaram resultados semelhantes.

Houle B, et al.  Breastfeeding, HIV exposure, childhood obesity, and prehypertension: A South African cohort study. PLoS Med. 2019 Aug; 16(8): e12889.

Assine nossa newsletter: