fbpx


Quais os benefícios da biotecnologia para a alimentação?

Postado em 12 de maio de 2022

A biotecnologia contribui para a produção de alimentos de forma mais sustentável, para alimentar a população crescente sem esgotar os recursos naturais

Você já parou para pensar o quanto a nossa vida está cercada pela biotecnologia?

Dos alimentos em seu prato, passando por vacinas e medicamentos como insulina e terapias gênicas… tudo é fruto da biotecnologia.

biotecnologia

Fonte: Shotterstock

Mas afinal, o que é biotecnologia?

A biotecnologia é uma ciência que utiliza processos biológicos para desenvolver produtos que possam oferecer algum tipo de benefício para os seres humanos.

Algumas pessoas ainda acham que a biotecnologia é um termo novo, mas ela está presente na humanidade há milhares de anos. Historicamente, podemos dividi-la em:

– Biotecnologia clássica: baseada em observações da natureza, por exemplo, seleção de organismos pelas suas características visíveis a olho nu, resultando na modificação do conjunto genético dos organismos ao escolher os genes que propagavam essas características para os descendentes.

Um exem biotecnologia plo é a seleção e adaptação das plantas, base do melhoramento genético clássico. Cerca de 10.000 anos atrás, osos humanos descobriram o teosinto, uma espiga pequena e fina, entre 5 e 8 centímetros de comprimento, com grãos tão duros que podiam quebrar os dentes de quem a consumisse. No entanto, ao longo de milhares de anos de seleção, o teosinto foi adaptado para produzir as espigas de 30 centímetros e que produzem centenas de grãos que são cultivadas hoje: o milho!

 

– Biotecnologia moderna: baseada em ferramentas de biotecnologia moderna, como a tecnologia do DNA recombinante, permitindo a seleção de organismos pelos seus genes, bem como a produção de Organismos Geneticamente Modificados (OGMs). Um exemplo é a produção de insulina humana, que em vez de ser extraída do pâncreas de animais, passou a ser produzida por bactérias geneticamente modificadas (GM) e transgênicas. Lembrando que os OGMs são organismos cujo material genético tenha sido modificado por qualquer técnica de engenharia genética. Transgênicos são OGMs que receberam um gene de ser vivo de outra espécie em seu DNA por meio de técnicas empregadas na biotecnologia. ​

Com esses exemplos, podemos dizer que a biotecnologia tem uma capacidade absurda de pesquisar e beneficiar a humanidade, ao mesmo tempo em que promove a sustentabilidade do meio ambiente, o que justifica o seu avanço cada vez maior.

 

Qual a relação entre biotecnologia e alimentação?

Sem dúvidas, uma das principais áreas de aplicação da biotecnologia é a agricultura.

Como já citado, o melhoramento genético clássico de plantas com características desejáveis, como frutos maiores, foi o primeiro passo para o uso da biotecnologia na agricultura. Posteriormente, com a Revolução Verde, conhecida como a 3ª Revolução Agrícola (1950/1960)​, observamos o aprimoramento das técnicas de biotecnologia e a utilização de OGMs permitiu um melhor manejo de plantas daninhas devido ao cultivo de culturas tolerantes a herbicidas, assim como maior controle de pragas com a disponibilidade de plantas protegidas contra insetos e doenças específicas.

O mais recente nesta longa progressão de avanços é o desenvolvimento de culturas geneticamente editadas. Essa abordagem está sendo usada para gerar e usar variação genética por meio de edições precisas nos genomas de importantes espécies de culturas alimentares.

Atualmente, vivemos o desafio da segurança alimentar, ou seja, garantir que todas as pessoas tenham acesso físico e econômico ​a uma alimentação que seja ​suficiente, segura, nutritiva ​e que atenda às necessidades nutricionais e preferências alimentares ​de modo a propiciar vida ativa e saudável​.

biotecnologia No entanto, com o crescimento da população mundial e as mudanças climáticas, aumenta a preocupação com a disponibilidade de alimentos e com a manutenção da vida sustentável no planeta.

Nesse sentido, a Organização das Nações Unidas (ONU) criou os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que são como um “apelo global à ação para acabar com a pobreza, proteger o meio ambiente e o clima e garantir que as pessoas, em todos os lugares, possam desfrutar de paz e de prosperidade”.

Em seu segundo objetivo “Fome zero e agricultura sustentável”, a ONU propõe que existam sistemas sustentáveis de produção de alimentos, por meio da implantação de práticas agrícolas resilientes, ou seja, com aumento de produtividade e produção, mas com manutenção dos ecossistemas, capacidade de adaptação às mudanças climáticas e que promovam a melhoria progressiva da qualidade da terra e do solo. O uso da biotecnologia e de culturas GM é crucial para alcançar esse objetivo.

 

Veja também: Qual o impacto da agricultura tradicional e moderna na segurança alimentar?

 

Biotecnologia aplicada na agricultura moderna

Por meio da modificação genética de sementes, que envolve seleção e melhoramento de plantas, cruzamento convencional e edição do genoma, é possível conseguir uma produtividade maior de forma mais sustentável.

Trazendo alguns números, no período entre 2013 e 2018, o uso global de culturas GM ajudou a reduzir a emissão de gases de efeito estufa em 2,1 bilhões de kg de dióxido de carbono, graças a 774 milhões de litros de combustíveis usados a menos. Isto equivale a subtrair 1,28 milhão de carros de circulação por ano.

E apesar de ainda existir um preconceito contra os OGMs, eles são comprovadamente seguros. A batata-doce, por exemplo, uma cultura alimentar amplamente consumida no mundo, é naturalmente transgênica. Ela foi obtida através de um mecanismo de ocorrência natural, durante a evolução e domesticação da cultura: a transformação mediada por Agrobacterium. E este tem sido justamente o método de escolha para o desenvolvimento de culturas GM, que são cultivadas em mais de 170 milhões de hectares. Impedir o uso de OGMs, é ser contra a biotecnologia e seus esforços para contribuir para um futuro agrícola mais sustentável.

 

25 anos de Biossegurança no Brasil

Em 2020, foi celebrado 25 anos do sistema de biossegurança no Brasil, que segue a Lei nº 11.105/2005. Nesses 25 anos, desde que as culturas GM foram plantadas pela primeira vez, as culturas GM e a biotecnologia não apenas transformaram a agricultura, fornecendo uma ferramenta valiosa para os agricultores, mas também foram importantes para a produção de vacinas humanas, medicamentos biológicos na área humana e animal, produção de biocombustíveis, entre outros produtos.

Os 25 anos de uso de OGMs na agricultura deve ser comemorado, e a continuidade da pesquisa de ponta para a descoberta de novos benefícios, estimulada. A biotecnologia, seus produtos e serviços contribuem para o avanço da humanidade, seja na área da saúde, na produção de alimentos ou em outras aplicações.

Você também vai gostar: Por que devemos indicar a feira?

 

Referências:

BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. CTNBio 25 anos – Comissão Técnica Nacional de Biossegurança sob o olhar de seus Presidentes. 2021.

BROOKES, Graham et al. The farm level economic and environmental contribution of Intacta soybeans in South America: the first five yearsGm Crops & Food, [S.L.], v. 9, n. 3, p. 140-151, 3 jul. 2018.

FAO. The future of food and agriculture – Trends and challenges. Rome, 2017.

JI, Qing et al. Genetic transformation of major cereal cropsThe International Journal Of Developmental Biology, [S.L.], v. 57, n. 6-7-8, p. 495-508, 2013.

KAISER, Natalie et al. The role of conventional plant breeding in ensuring safe levels of naturally occurring toxins in food cropsTrends In Food Science & Technology, [S.L.], v. 100, p. 51-66, jun. 2020.

KYNDT, Tina et al. The genome of cultivated sweet potato contains Agrobacterium T-DNAs with expressed genes: an example of a naturally transgenic food cropProceedings Of The National Academy Of Sciences, [S.L.], v. 112, n. 18, p. 5844-5849, 20 abr. 2015.

LEMKE, Shawna L. et al. Gene Editing in PlantsNutrition Today, [S.L.], v. 57, n. 2, p. 57-63, mar. 2022.

MBABAZI, Ruth et al. Crop Biotechnology and Product StewardshipGm Crops & Food, [S.L.], v. 12, n. 1, p. 106-114, 20 out. 2020.

MOZAFARI, Masoud et al. Trends in Biotechnology at the Turn of the MillenniumRecent Patents On Biotechnology, [S.L.], v. 14, n. 1, p. 78-82, 21 jan. 2020.

Organização das Nações Unidas

SHELAR, Amruta et al. Sustainable Agriculture through Multidisciplinary Seed Nanopriming: prospects of opportunities and challengesCells, [S.L.], v. 10, n. 9, p. 2428, 15 set. 2021.

THUDI, Mahendar et al. Genomic resources in plant breeding for sustainable agricultureJournal Of Plant Physiology, [S.L.], v. 257, p. 153351, fev. 2021.

Cadastre-se e receba nossa newsletter