fbpx


Cirurgia bariátrica e preservação de massa muscular

Postado em 13 de novembro de 2021

Entre os dois procedimentos mais comuns da cirurgia bariátrica, um parece promover menores perdas de massa magra

preservação de massa magra após bariátrica

Após a cirurgia bariátrica, sabe-se que a alimentação e a nutrição do paciente sofrerão mudanças.  A redução no consumo alimentar, bem como, a própria cirurgia em si, afetam a absorção e a biodisponibilidade de nutrientes, o que interfere na composição corporal.

Reconhecendo esses impactos, um grupo de pesquisadores decidiu avaliar o consumo de proteínas e as mudanças na composição corporal de pacientes submetidos à gastrectomia de Sleeve ou ao bypass gástrico em Y de Roux.

Para fazer as avaliações, 105 pacientes com idade média de 32 anos foram convocados para coletas de dados da dieta, composição corporal e atividade física após 3, 6 e 12 meses da operação. Essas informações foram obtidas através de registros alimentares e exames de bioimpedância.

Consumo de proteínas e energia

Sobre o consumo de proteínas desses pacientes, naqueles que realizaram bypass gástrico em Y de Roux (n = 43) percebeu-se um aumento: aos 3 meses a ingestão proteica era de 41,59 ± 22,86 g/dia e após um ano completo da cirurgia o consumo foi para 57,90 ± 19,24 g/dia.

Nos pacientes que realizaram gastrectomia de Sleeve (n = 62) a ingestão de proteínas foi de 52,36 ± 25,04 g/dia aos 3 meses para 53,54 ± 29,75 g/dia aos 12 meses.

Quanto à ingestão calórica, no bypass em Y de Roux o consumo energético mudou de 895,9 ± 422,61 kcal/dia aos 3 meses para 1.188,15 ± 463,86 kcal/dia aos 12 meses. Nos pacientes de gastrectomia de Sleeve os valores foram de: 1.007,67 ± 422,62 após 3 meses e 1.068 ± 575,89 kcal/dia após 12 meses.

Composição corporal e atividade física

Nos pacientes submetidos à gastrectomia de Sleeve houve uma perda significante de massa gorda (de 61,58 ± 3,61 kg para 54,18 ± 11,05 kg) e massa magra (de 58,47 ± 3,09 kg para 51.55 ± 10.62 kg), após 3 e 12 meses, respetivamente.

Nos pacientes de bypass gástrico em Y de Roux, as mudanças na composição corporal foram de 57,82 ± 12 kg aos 3 meses para 52 ± 11,99 kg de massa gorda após 12 meses. A massa magra foi de 55,16 ± 12,14 kg após 3 meses para 49,67 ± 11,59 kg após 1 ano da cirurgia.

Quanto à atividade física, em ambos os grupos foi similar.

Fatores de atenção

Na maioria dos pacientes, tanto os que fizeram a cirurgia bariátrica do tipo gastrectomia de Sleeve quanto os que fizeram bypass gástrico em Y de Roux não foi alcançada a recomendação de ingestão proteica que é de 60 g/dia.

Sobre a composição corporal, os pacientes que fizeram a cirurgia do tipo bypass gástrico em Y de Roux conseguiram melhor preservar a sua massa magra, se comparados aos pacientes da gastrectomia de Sleeve.

Por isso, o acompanhamento dos profissionais de nutrição é essencial para que tanto a alimentação, quanto o estilo de vida e a qualidade da composição corporal do paciente estejam de acordo com as recomendações para indivíduos que realizaram cirurgia bariátrica. Dessa forma, menores danos, melhor recuperação e melhor qualidade de vida serão notados.

Cadastre-se e receba nossa newsletter