fbpx

Efeitos da ingestão de cerveja sem álcool modificada sobre parâmetros metabólicos de pacientes diabéticos

Postado em 25 de março de 2019 | Autor: Marcella Gava

Estudo cross-over observou que cerveja sem álcool com composição de carboidratos alterada pode melhorar parâmetros metabólicos de pacientes com DM2 e sobrepeso ou obesidade.

Estudo teve como objetivo explorar os efeitos de uma cerveja sem álcool com composição de carboidratos alterada, praticamente eliminando maltose e adicionando isomaltulose e maltodextrina resistente, em comparação a uma cerveja sem álcool regular sobre o controle glicêmico de indivíduos diabéticos com sobrepeso ou obesidade.

Foram selecionados indivíduos entre 18 e 80 anos, com IMC entre 25 e 40kg/m² com diagnóstico de diabetes ou pré diabetes. Os indivíduos foram randomizados em dois grupos, grupo controle, que ingeriu duas garrafas (330ml/cada) de cerveja sem álcool por dia com composição regular durante 10 semanas, e grupo intervenção, que ingeriu duas garrafas (330ml/cada)  de cerveja sem álcool por dia com carboidratos modificados durante 10 semanas. Após um intervalo de wash-out de 6 a 8 semanas sem nenhum consumo de cerveja, os grupos foram invertidos. Foram colhidos dados clínicos, antropométricos e bioquímicos e sobre atividade física ao inicio do estudo, ao final da primeira fase, início e final da segunda fase. Nestas visitas, foram mensuradas medidas antropométricas, pressão, avaliados parâmetros laboratoriais, e ingestão alimentar (preenchimento de diário alimentar de três dias).

Participaram do estudo 42 indivíduos, com médias de idade de 55,8 anos e de IMC de 31,9 kg/m². Os indivíduos apresentaram perda de peso significativa, tanto no período intervenção (1,69%) quanto no período controle (1,77%) bem como redução de circunferência da cintura, sem alteração da composição corporal. A glicemia não diferiu entre as fases do estudo, porém hemoglobina glicada reduziu significativamente em ambas as fases (-0,75% controle e -1,11% intervenção), sem diferença entre os grupos. Insulinemia (-11,1%) e HOMA-IR (-1,92%) reduziram significativamente no período intervenção mas não no período controle, sendo que a diferença do HOMa-IR entre os períodos foi significante (p<0,001) mesmo após ajuste por variáveis (p=0,03). As pressões sistólica e diastólica reduziram em ambos os momentos, sem diferença entre estes. Foi observada uma redução da ingestão calórica e lipídica no período de intervenção

Com isso, os autores concluíram que a ingestão de cerveja sem álcool modificada pela substituição de carboidratos regulares por isomaltulose (16,5g/dia) e adição de dextrina resistente (5,28g/dia) durante as refeições melhorou a resistência insulínica em indivíduos com DM2 e sobrepeso ou obesidade. Os resultados foram observados associando intervenções em estilo de vida, mas independentemente de perda de peso, atividade física e outros fatores de confusão.

Mateo-Gallego R, et al. Effect of an alcohol-free beer enriched with isomaltulose and a resistant dextrin on insulin resistance in diabetic patients with overweight or obesity. Clinical Nutrition, March 2019.