fbpx


FODMAPs e Glúten: quais são os efeitos sobre os sintomas de SII?

Postado em 4 de abril de 2022

Os carboidratos fermentáveis e não digeríveis apresentaram resultados diferentes do glúten nessa síndrome

Caracterizada por hábitos intestinais desregulados e dores abdominais frequentes, a síndrome do intestino irritável (SII) é uma patologia que reduz a qualidade de vida do paciente. Nessa doença, mudanças na dieta possibilitam a redução de sintomas como diarreia, prisão de ventre ou a combinação de ambos.

Uma dieta com baixo teor de FODMAPs, por exemplo, é indicada para pacientes com SII, mas, até o momento, poucos estudos robustos utilizaram múltiplos FODMAPs para comprovar a eficiência na vida real.

Outro componente da dieta que é apresentado em alguns estudos como causador de sintomas em pessoas com SII, porém com controvérsias, é o glúten, mesmo em não celíacos, mostrando uma possível sensibilidade a essa proteína.

Sabendo dessas incompletudes no meio científico acerca do tratamento mais eficaz para SII, um estudo randomizado duplo-cego, controlado por placebo, analisou os efeitos de uma intervenção dietética sobre os sintomas, hábito intestinal e qualidade de vida em homens e mulheres com níveis de moderado a grave nessa doença.

FODMAPs e glúten na SII

Fonte: Shutterstock

Como foi a intervenção dietética

De setembro de 2018 a junho de 2019, 110 pacientes com SII grave a moderada e idade entre 18 e 70 anos que moravam em Uppsala na Suécia, foram instruídos a adotar uma dieta com baixo teor de FODMAPs e exclusão do glúten. Após uma semana, os participantes foram divididos e conduzidos a um desafio composto pela exposição a 50g/dia de FODMAPs (19,5 g de frutose, 15,7 g de lactose, 7 g de fruto-oligossacarídeos, 1,5 g de galacto-oligossacarídeos, 4,5 g de sorbitol e 1,8 g de manitol) ou 17,3 g/dia de glúten ou placebo.

Depois de 4h da conclusão desse desafio, foram coletadas amostras de sangue dos participantes e no dia seguinte, uma amostra de urina. Após o desafio, eles voltaram à dieta orientada no início do estudo por mais uma semana.

Ao fim desse período, eles foram orientados a consumir, durante três semanas, 3 porções/dia de mingau de arroz que continham, FODMAPs, glúten ou placebo. Entre essas semanas havia um intervalo de uma semana washout. E ao fim de cada semana, amostras de sangue e fezes eram coletadas.

Sobre o hábito intestinal, os participantes responderam a um questionário que incluía frequência, consistência e dores durante os movimentos intestinais. E a qualidade de vida também foi avaliada através de um questionário.

FODMAPs vs. Glúten

No decorrer do estudo, alguns participantes abandonaram a pesquisa, sendo que 103 concluíram o protocolo. Foi estabelecido um sistema de pontuação para a síndrome do intestino irritável, a qual alcançou escore significativamente mais elevado (escore médio = 240) durante a intervenção com FODMAPs na dieta, enquanto glúten e placebo tiveram, respectivamente, médias de 208 e 198.

Percebeu-se também que os participantes que consumiram FODMAPs apresentaram maior distensão abdominal e frequência de dor nessa região do que os indivíduos que ingeriram placebo ou glúten. Sobre o hábito intestinal e a qualidade de vida não foram notadas diferenças significativas entre as três intervenções.

Conclusão

A partir desses dados, os autores afirmam que os FODMAPs representam um papel importante e prejudicial na saúde dos indivíduos com síndrome do intestino irritável, sendo confirmada a eficácia da dieta que reduz esses carboidratos.

Apesar de não encontrarem efeitos deletérios à saúde dos participantes submetidos à ingestão de glúten, houve uma variabilidade nas respostas dos pacientes sobre a intervenção, o que demonstra a necessidade de mais estudos para entender melhor os mecanismos dessa doença.

Clique aqui para conferir uma receita com baixo teor de FODMAPs para sugerir ao seu paciente!

Veja também essa notícia sobre a relação dos FODMAPs com as cólicas no bebê.

 

Referência

Elise Nordin, Carl Brunius, Rikard Landberg, Per M Hellström, Fermentable oligo-, di-, monosaccharides, and polyols (FODMAPs), but not gluten, elicit modest symptoms of irritable bowel syndrome: a double-blind, placebo-controlled, randomized three-way crossover trial, The American Journal of Clinical Nutrition, Volume 115, Issue 2, February 2022, Pages 344–352, https://doi.org/10.1093/ajcn/nqab337

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter