fbpx

ANÁLISE HISTOMORFOLÓGICA E PONDERAL DOS EFEITOS INDUZIDOS POR DIETAS HIPERLIPÍDICAS EM ARTÉRIAS CEREBRAIS DE RATOS WISTAR

Postado em 3 de agosto de 2005 | Autor: Gabriela Loiola Camargo

Co-autores: Renato Aparecido de Souza, Teresa Cristina Campos Gonçalves.

Instituição/: Centro Universitário de Itajubá. Itajubá – MG

RESUMO

Este estudo teve como objetivo analisar os efeitos da ingestão de dietas enriquecidas com ácidos graxos poliinsaturados (PUFA’S: óleo de girassol) sobre possíveis alterações vasculares cerebrais, observadas pelas análises ponderal, glicêmica e histomorfológica. Foram utilizados 30 ratos machos Wistar (Rattus Novergicus), saudáveis, logo após o desmame, pesando em média 70 g, sendo divididos igualmente em 3 grupos experimentais: um grupo controle (GC) que recebeu dieta lipídica diária recomendada (4%), e dois grupos (GE1 e GE2) que receberam respectivamente dietas em níveis superiores a 25% e 50% da ingestão lipídica diária recomendada. Todas as dietas foram administradas durante 12 semanas. Após este período, os animais foram sacrificados sendo então realizada craniotomia para retirada do encéfalo. A análise ponderal dos animais revelou que ambas dietas hiperlipídicas induziram médias de ganho de peso (221, 34g e 159, 46g para GE1 e GE2, respectivamente) inferiores em relação ao GC (285, 66g). O ganho de peso correspondeu a 77,48% (GE1) e 55,82% (GE2) do valor obtido em GC. Quando da análise glicêmica observou-se ao final das 12 semanas uma redução na concentração de glicose plasmática em todos grupos: 16mg/ml, 0,4mg/ml e 4,08mg/ml para GC, GE1 e GE2, respectivamente. O exame histológico dos segmentos arteriais em todos os animais mostrou artérias e arteríolas com endotélio de aparência normal, camada subendotelial muito fina, imperceptível e lâmina elástica interna sem espessamentos ou calcificações. Além disto, camada muscular com fibras de aparência normal, citoplasma por vezes vacuolizado e adventícia em geral delgada. Enfim, não se observou diferenças histológicas entre GC e GE. Os resultados deste trabalho indicam que neste modelo experimental os ácidos graxos poliinsaturados não promoveram importantes alterações cerebrovasculares, glicêmicas e ponderais. No entanto, são necessárias mais pesquisas que norteiem o consumo de PUFAS, uma vez que ainda existe na literatura controvérsias a respeito deste tema, principalmente com relação a ingesta excessiva em longo prazo destes ácidos graxos.

Palavras-chave: Dieta Hiperlipídica, PUFA’S, Alterações Morfológicas Vasculares

Leia também