fbpx


Como orientar atletas sobre dietas e suplementação?

Postado em 10 de junho de 2021 | Autor: Aline Palialol | Tempo de leitura: 5 min

Todas as recomendações devem ser adotadas de acordo com as características e metas pessoais de cada atleta

Não é novidade que a nutrição é uma aliada dos atletas. Isso se dá em razão do melhor desempenho que pode ser obtido por esportistas quando recebem e praticam orientações dietéticas adequadas.

Pensando nisso, a Academia de Nutrição e Dietética, a Faculdade Americana de Medicina do Esporte, a Associação de Nutricionistas do Canadá e a Associação Internacional de Federações de Atletismo, desenvolveram documentos que descrevem as recomendações de nutrientes e energia para adultos ativos e atletas de competição. As recomendações são generalizadas, sendo necessário que o nutricionista adapte tais orientações às características, metas e preferências de cada indivíduo.

Confira abaixo uma lista resumida destas recomendações:

  • Para manter-se saudável durante treinos de alta intensidade ou longa duração e ainda, alcançar uma boa performance, é preciso que os atletas sejam orientados a fazer uma ingestão alimentar com fonte energética adequada para evitar disfunções ou lesões;
  • Composição corporal e forma física dependem do sexo, hereditariedade, idade e modalidade esportiva praticada, portanto, é preciso utilizar métodos padronizados de avaliação e interpretar cuidadosamente os resultados;
  • As recomendações energéticas devem considerar as metas de cada atleta, o evento que participarão e os ciclos de treinamento sazonais;
  • As recomendações para ingestão de carboidratos geralmente variam de 3 a 12 g/kg/dia dependendo da duração da atividade praticada e objetivo de cada dieta (ganho ou perda de peso);
  • A exposição frequente da boca e da cavidade oral a pequenas quantidades de carboidratos (bochechos de carboidrato) pode melhorar o desempenho em uma competição por estimular o cérebro e a região central do sistema nervoso;
  • Para a ingestão proteica, as recomendações variam de 1,2 a 2 g/kg/dia ou 0,3g de proteína de alto valor biológico/kg após exercícios físicos e a cada refeição;
  • A ingestão de gordura é calculada, geralmente, de 20 a 35% da ingestão de energia total. Porções menores que 20% dificultam a variedade de alimentos da dieta que atendem outras necessidades energéticas. Além disso, não são apoiadas, pela literatura, dietas com alto teor de gordura e restrição de carboidratos;
  • Os atletas devem ser orientados a ingerir dietas que atendam às recomendações da RDA (Ingestão Dietética Recomendada), pois dietas restritivas podem eliminar grupos alimentares necessários, aumentando o risco de deficiências de micronutrientes;
  • Antes de competições, as recomendações sugerem que a ingestão energética de 1 – 4 horas que antecedem o evento devem fornecer o aporte energético necessário para o atleta, garantindo a hidratação e conforto gastrointestinal;
  • Deve-se dar atenção a desidratação, pois esta pode trazer prejuízos ao desempenho e à saúde do atleta;
  • Após práticas de exercício intensas, o atleta deve restaurar o equilíbrio hídrico bebendo um volume de fluido equivalente a 125 – 150% do déficit de fluido remanescente;
  • Em geral, os suplementos vitamínicos e minerais são desnecessários para o atleta que consome uma dieta que fornece alta disponibilidade de energia de uma variedade de alimentos ricos em nutrientes;
  • Os alimentos esportivos e auxiliares nutricionais ergogênicos só devem ser usados ​​após avaliação cuidadosa quanto à segurança, eficácia, potência e conformidade com os códigos antidopagem e requisitos legais relevantes. Além da orientação do nutricionista quanto ao uso;
  • Para atletas vegetarianos, deve-se ter atenção aos riscos de baixa ingestão de energia, proteína, gordura, creatina, carnosina, ácidos graxos n-3 e micronutrientes essenciais, como ferro, cálcio, riboflavina, zinco e vitamina B-12.

Referências

Burke, L. M., Castell, L. M., Casa, D. J., Close, G. L., Costa, R. J. S., Desbrow, B., Halson, S. L., Lis, D. M., Melin, A. K., Peeling, P., Saunders, P. U., Slater, G. J., Sygo, J., Witard, O. C., Bermon, S., & Stellingwerff, T. (2019). International Association of Athletics Federations Consensus Statement 2019: Nutrition for Athletics, International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism, 29(2), 73-84.

Nutrition and Athletic Performance, Medicine & Science in Sports & Exercise: March 2016 – Volume 48 – Issue 3 – p 543-568 doi: 10.1249/MSS.0000000000000852

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter