fbpx


MANUTENÇÃO DA PERDA DE PESO, MELHORA DE CO-MORBIDADES PRÉ-EXISTENTES E SINTOMAS GASTROINTESTINAIS EM ACOMPANHAMENTO PÓS-OPERATÓRIO TARDIO DE CIRURGIA BARIÁTRICA

Postado em 3 de agosto de 2005 | Autor: Lourença Dalcanale

Co-Autores: Monize Aydar Nogueira, Claudia Pinto Marques, Joel Faintuch, Alessandra Rascowiski, Alfredo Halpern, Denis Pajecki

Instituição: HC-FMUSP, Departamento de gastroenterologia clínica, São Paulo

A cirurgica bariátrica (Capella) é considerada o tratamento de escolha para pacientes portadores de obesidade mórbida. Contudo, existem poucos estudos que validem a eficácia da cirurgia à longo prazo em relação a manutenção de peso e melhora das co-morbidades pré-existentes. Os objetivos deste estudo foram avaliar a eficácia à longo prazo da manutenção do peso e a resolução das co-morbidades além dos sintomas gastrointestinais.

Materiais e métodos: 62 pacientes (87,1% F, idade 49,3±10,6 anos) foram submetidos à entrevista e antropometria 87.2 ± 12,1 meses após a cirurgia. Nenhum indivíduo teve doença grave ou complicação ou fez cirurgia nos últimos 3 meses.

Resultados: O IMC pré-operatório, IMC mínimo atingido e IMC atual foram respectivamente 56,7 ±11,1; 29,3 ±6,7 e35,5 ±10,9 Kg/m_ (p<0.05 para todos os valores), mostrando um ganho de 6,2 ±1,4 Kg/m_ durante todo o tempo de acompanhamento do estudo (9 anos de pós-cirúrgico). Os sintomas gastrointestinais mais comuns foram: náusea, vômitos e dumping em 63,8% dos indivíduos, obstipação em 25,5%, dor epigástrica, diarréia e flatulência em 10,6% e azia ou queimação em 8,5%. Com relação às co-morbidades houve melhora parcial do diabetes mellitus em 21% e resolução em 79%. Para apnea do sono houve melhora parcial em 8,7% e resolução em 78,3%. Por outro lado, somente 31,7% dos pacientes analisados resolveram a hipertensão arterial sistêmica, 31, 7 % diminuíram medicação e 36,5 % não apresentaram diferença.

Conclusão: A cirurgia de Capella é eficaz para manutenção do peso a longo prazo, melhora diabetes, has e apneia as co-morbidades pré-operatórias, ratificando outros estudos. Contudo, há surgimento ou agravamento de sintomas gastrointestinais.

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter