>


PERFIL NUTRICIONAL DOS PACIENTES PORTADORES DE ARTRITE IDIOPÁTICA JUVENIL

Postado em 3 de agosto de 2005

SANTOS, R. C. C.; ROBAZZI, T. C. M. V.; VAZQUEZ, M. R; CAIVANO, S. A. e TRINDADE, E. B. S. M.

Programa de Pós–graduação em Clínica e Terapêutica Nutricional, Instituto de Pesquisa, Capacitação e Especialização – IPCE. Salvador, 2004.

Introdução: Artrite Idiopática Juvenil (AIJ) é um grupo de doenças caracterizadas pela presença de artrite crônica e certo número de manifestações extra-articulares que se iniciam antes dos 16 anos de idade. As causas do comprometimento nutricional são multi-fatoriais, dependendo da doença e das medicações utilizadas. Objetivos: Determinar o perfil nutricional dos pacientes com AIJ correlacionando ao início da doença, uso de medicamentos específicos e a ingestão alimentar. Pacientes e Métodos: Foram estudados 8 pacientes prospectivamente, com diagnóstico confirmado, baseado nos critérios diagnósticos do American College of Rheumatology, atendidos em consultório especializado em reumatologia pediátrica, em Salvador (BA), após assinatura dos termos de consentimento pelos responsáveis. A avaliação antropométrica realizada constou de peso, estatura, cálculo do IMC, CB, PCT, e cálculos da CMB e AMBc. Para avaliação da ingestão alimentar, utilizou-se registro de quatro dias. Foi coletado no prontuário os medicamentos utilizados, exames laboratoriais, tipo e tempo de doença. Os dados foram analisados de forma descritiva. Para a análise estatística foi utilizado o pacote estatístico SPSS versão 10.0, utilizando-se o método estatístico de média e desvio padrão. Resultados: Dos 8 pacientes estudados, 62,5% crianças eram do sexo feminino, 25% crianças do sexo masculino e 12,5% adolescente do sexo masculino, na faixa etária de 2 a 15 anos, sendo 62,5% pacientes do tipo de inicio sistêmico, 25% poliarticular e 12,5% oligoarticular. Da amostra estudada, 87,5% pacientes apresentavam déficit ponderal, e 87,5% apresentavam estatura abaixo do valor de referência. Cerca de 50% dos pacientes apresentaram comprometimento da reserva protéica somática e 87,5% da reserva de gordura corporal, e 50% dos pacientes apresentavam deficiência da musculatura esquelética. Dos pacientes em uso de antiinflamatório não hormonal associado à anti-reumático de ação lenta e corticosteróide tiveram um maior comprometimento nutricional. Em 75% dos pacientes, a ingestão calórica esteve abaixo do recomendado em relação a RDI para idade e sexo, 85% apresentavam um quadro anêmico denominado de anemia da doença crônica. Conclusão: Assim sendo,verificou-se que todos os indivíduos participantes apresentaram comprometimento do estado nutricional. Estes achados poderiam sugerir possíveis correlações entre a gravidade da doença e o estado nutricional, de forma que indivíduos com comprometimentos nutricionais mais significativos teriam maiores dificuldades em controlar o processo inflamatório. Acredita-se que o comprometimento do estado nutricional e crescimento provavelmente ocorrem em função da ingestão dietética inadequada, do aumento da necessidade calórica e de nutrientes específicos nos períodos de atividade da doença, dificuldade mecânica em alimentar-se, além da interferência das medicações especificas junto aos nutrientes.

UNITERMOS: Estado nutricional, artrite idiopática juvenil, inflamação

Leia também



Cadastre-se e receba nossa newsletter