fbpx


Perda de peso melhora gravidade da apneia obstrutiva do sono

Postado em 8 de abril de 2021 | Autor: Natalia Lopes | Tempo de leitura: 3 min.

A adesão a estratégias de perda e manutenção do peso favorecem a melhoria da gravidade da apneia em longo prazo.

A obesidade é um importante fator de risco para apneia obstrutiva do sono (AOS), uma doença crônica, que compromete a qualidade do sono e, consequentemente, a qualidade de vida dos indivíduos.

Utilizando dados de um ensaio clínico randomizado e controlado que avaliou os efeitos na saúde de intervenção intensiva no estilo de vida (IEV) com foco na perda de peso e o suporte e educação específicos para diabetes (SED) em indivíduos com diabetes tipo 2 e sobrepeso/obesidade, Kuna e colaboradores avaliaram também os efeitos de tais intervenções na melhora da gravidade da AOS.

 

Como foi feito o estudo? 

Em estudo anterior, já tinham demonstrado que os participantes que receberam a intervenção ativa para mudança no estilo de vida tiveram maior perda de peso e maior melhora no índice de apneia-hipopneia (IAH), uma medida da gravidade da AOS, em 1 ano e 4 anos. Agora, avaliaram se esses efeitos foram mantidos após 10 anos de acompanhamento.

Para isso, os pesquisadores acompanharam, durante 10 anos, 134 dos 264 adultos que participaram do estudo inicial, que tinham diabetes tipo 2, sobrepeso e obesidade e que, na primeira polissonografia, haviam sido diagnosticados com AOS. Esses indivíduos estavam divididos entre o grupo que, por 10 anos, recebeu IEV e o grupo que pelo mesmo período recebeu SED.

Após os 10 anos, os pacientes foram reavaliados, a polissonografia foi repetida e a mudança no IAH foi medida. A média ± DP de perda de peso de participantes de IEV foi de 10,7 ± 0,7, 7,4 ± 0,7, 5,1 ± 0,7 e 7,1 ± 0,8 kg em 1, 2, 4 e 10 anos, respectivamente, sendo significativamente maiores do que a perda de peso de 1 kg em 1, 2 e 4 anos e 3,5 ± 0,8 kg em 10 anos para o grupo SED ( valores de P ≤ 0,0001), demonstrando que indivíduos que passaram por IEV perderam mais peso ao longo do estudo. O IAH foi menor com IEV do que SED em 9,7, 8,0 e 7,9 eventos/h em 1, 2 e 4 anos, respectivamente (P ≤ 0,0004) e 4,0 eventos/h em 10 anos (P = 0,109). A mudança no IAH ao longo do tempo foi relacionada à quantidade de perda de peso, IAH basal, ano da visita (valores P <0,0001) e intervenção independente da mudança de peso (P = 0,01). A remissão da AOS em 10 anos foi mais comum com IEV (34,4%) do que com SED (22,2%).

 

Conclusão

Assim, os autores concluem que intervenções no estilo de vida foram mais eficazes na melhora da gravidade de AOS em indivíduos com diabetes mellitus tipo 2 e sobrepeso/obesidade.  Essa melhora, em 10 anos, foi relacionada à mudança no peso corporal, IAH basal e intervenção independente da mudança de peso.

Referência 

Kuna ST et al. Effects of Weight Loss on Obstructive Sleep Apnea Severity. Ten-Year Results of the Sleep AHEAD Study. Am J Respir Crit Care Med. 2021 Jan 15;203(2):221-229.

Cadastre-se e receba nossa newsletter