Efeitos da dieta e exercícios físicos em adultos obesos com síndrome metabólica

Postado em 11 de maio de 2020 | Autor: Marcella Gava

Estudo evidencia que redução calórica diária, mesmo que leve, pode ser efetiva no combate a síndrome metabólica

Estudo conduzido por Said e colaboradores avaliou a eficácia da perda de peso baseada na restrição calórica, exercício aeróbico de baixo impacto e treinamento de resistência na melhora da composição corporal, parâmetros metabólicos e fatores de risco para doença cardiovascular (DCV) em estudantes obesos diagnosticados com síndrome metabólica (SM). Foram selecionados para o estudo homens entre 19 e 24 anos, sedentários, com IMC entre 30 e 40 kg/m² e com diagnóstico de SM. Os participantes realizaram uma fase de quatro semanas para estabilizar a dieta que restringia 500kcal ao dia a partir do seu consumo habitual e, após esse período, foram randomizados em grupo dieta (GD), na qual manteriam a dieta, e no grupo dieta e exercício (GDE), no qual manteriam a dieta e adicionariam exercícios aeróbicos e de resistência três vezes por semana, ambas intervenções  durante 12 semanas. Foram coletados os dados de peso, altura, circunferência da cintura (CC), razão cintura-quadril (RCQ), índice de massa corporal (IMC), realizado BIA para avaliação da composição corporal e coletada amostras de sangue para análise de glicemia e perfil lipídico.

Fizeram parte do estudo 23 voluntários, sendo que 9 foram alocados no GD e 14 no GDE. Após o primeiro período de dieta por quatro semanas, houve melhora no IMC (p=0,39) e na porcentagem de gordura corporal (%GC) (p=0,022). No entanto, após a dieta juntamente com o exercício, os participantes apresentaram redução significativa do peso corporal (p=0,018), CC (p=0,042), IMC (p=0,001) e %GC (p<0,001) e a CC, %GC e RCQ foram significativamente diferentes entre os grupos (p=0,003; p=0,05; p=0,029, respectivamente). Em todos os participantes, antes do estudo, o peso se correlacionou fortemente com a CC e a %GC (p<0,001), e a correlação se manteve entre peso e CC no GDE (p=0,002). Quanto aos parâmetros bioquímicos, os participantes do GD apresentaram redução significativa somente do LDL-c, enquanto no GDE houve melhora na pressão sanguínea, triglicérides (TG), colesterol total (CT), LDL e VLDL. Entre os grupos houve diferença na glicemia, TG, CT, LDL e VLDL. No início do estudo, a glicemia, TG e HDL se correlacionaram com o peso, e a pressão sistólica teve correlação com CC e RCQ.

Dessa forma, os autores concluíram que mesmo uma leve redução calórica diária (500kcal) pode ser efetiva no combate a SM e que a adição de atividade física aeróbica e de resistência três vezes na semana pode potencializar os resultados da dieta, principalmente em termos de CC, %GC, RCQ, glicemia, TG, CT, LDL e VLDL.

Referências

Said MA et al. Effects of diet versus diet plus aerobic and resistance exercise on metabolic syndrome in obese young men. J Exerc Sci Fit. 2020 Sep;18(3):101-108

Leia também