fbpx

Idosos com Lesão por Pressão estão recebendo tratamento adequado?

Postado em 12 de fevereiro de 2019 | Autor: Marcella Gava

Estudo avaliou a incidência de lesão por pressão em idosos hospitalizados e avaliou o tratamento empregado

Estudo multicêntrico, cross-seccional, realizado em 33 hospitais austríacos descreveu intervenções nutricionais realizadas em pacientes com 70 anos ou mais e que apresentavam risco de desenvolvimento de lesão por pressão e avaliou a prevalência de LPP e a associação destas com o estado nutricional deste grupo de pacientes. As informações foram coletadas a partir de um formulário e as intervenções nutricionais para LPP foram avaliadas de acordo com protocolos internacionais.

1412 idosos com idade média de 79,5 anos incluídos. Estes pacientes possuíam em média 3 diagnósticos de doenças e 14,5% apresentavam alta dependência de cuidados de enfermagem. Os diagnósticos mais comuns foram de doenças circulatórias, respiratórias e musculoesqueléticas. Pacientes com LPP apresentaram número significativamente maior de doenças (p<0,001), mais dependência de cuidados de enfermagem (p<0,001), maior risco de desnutrição (p=0,042) e sofriam de doenças geniturinárias mais frequentemente (p=0,027) que pacientes sem LPP.

43,1% dos pacientes apresentavam risco de desenvolver LPP enquanto 5% já apresentavam a lesão, sendo os locais mais atingidos a base da coluna (50,5%) e os calcanhares (28,4%).As intervenções nutricionais mais frequentes em pacientes com risco e com LPP foram fornecer alimentos solicitados pelos pacientes, realizar avaliação de desnutrição e auxiliar os pacientes durante as refeições para assegurar a ingestão dietética adequada (50,7%, 40,8% e 39,4% respectivamente). As intervenções menos frequentes foram utilização de nutrição parenteral, seguida de nutrição enteral e suplementação oral, sendo que somente 18,3% dos idosos receberam refeição suplementada em calorias e proteínas, 12,7% receberam lanches suplementados e 8,5% suplementos orais. Foi encontrada associação significativa entre a presença de LPP e o risco de desnutrição (p=0,042). Somente um quarto dos pacientes que apresentavam LPP foram encaminhados para um nutricionista.

Dessa forma, os autores concluíram que o cuidado nutricional de pacientes idosos com risco e/ou lesão por pressão fica aquém do desejado, uma vez que uma minoria destes pacientes recebeu a intervenção nutricional preconizada pelas diretrizes baseadas em evidências, como triagem nutricional, encaminhamento para nutricionista e fornecimento de alimentos enriquecidos e/ou suplemento nutricional oral.

Referência:

Eglseer DHödl M & Lohrmann CNutritional management of older hospitalised patients with pressure injuries. Int Wound J. 2019 Feb;16(1):226-232.