fbpx


Nutrição parenteral precoce reduz mortalidade de pacientes críticos

Postado em 13 de dezembro de 2021

35% dos pacientes apresentaram risco nutricional elevado e desses, 59% receberam nutrição parenteral precoce

nutrição parenteral precoce

Estudos demonstram que uma boa nutrição facilita a recuperação e aumenta a sobrevivência de pacientes internados em UTIs. Entre as terapias nutricionais (TN) adotadas para esses pacientes estão a enteral e a parenteral.

Quando comparada com a nutrição parenteral (NP), a enteral (NE) é preferível e indica-se que seu início seja precoce nesses pacientes. No entanto, para pacientes submetidos a cirurgias abdominais de emergência, existem limitações para o início da dieta enteral.

Pesquisas apresentam resultados controversos no caso de pacientes que realizaram essas cirurgias. Diretrizes recomendam o início da NP, enquanto diversos estudos abordam que essa nutrição não traz benefícios relevantes sobre a sobrevivência desses pacientes.

Por isso, um estudo decidiu investigar os efeitos da administração precoce de nutrição parenteral suplementar na sobrevivência de pacientes de uma UTI da Coreia do Sul que estavam com alto risco nutricional.

Estudo

Para analisar os possíveis efeitos, foram coletados os dados de 1.581 pacientes submetidos a cirurgias abdominais de emergência em um hospital da Coreia do Sul entre janeiro de 2013 e dezembro de 2018. Desses 1.581 pacientes, 317 foram selecionados para a pesquisa e divididos pelo risco nutricional, o qual foi avaliado através do IMC e de um escore para risco nutricional em pacientes críticos, e de acordo com a terapia nutricional adotada (usual ou precoce, sendo que esta foi administrada em 48h pós-cirurgia).

Resultados da nutrição parenteral precoce

Entre os pacientes selecionados, a maioria eram idosos e 111 apresentaram risco nutricional elevado. Entre os classificados com alto risco nutricional, percebeu-se uma diferença significativa durante 30 dias de internação, ao comparar-se os indivíduos que receberam NP precoce e os que receberam terapia nutricional usual. As taxas de mortalidade geral foram, respectivamente, 7,6% e 26,7%, enquanto as taxas de mortalidade hospitalar foram 13,6% e 28,9% para o grupo de NP precoce e o de TN usual.

Conclusão

Com esses números, os pesquisadores concluíram que a mortalidade em pacientes com alto risco de desnutrição pode ser reduzida com o fornecimento de nutrição parenteral precoce em 48h pós-cirurgia de pacientes críticos que realizaram operações de emergência na região abdominal.

 

Referência

Joohyun Sim, Jeong Hong, Eun Mi Na, Seorin Doo, Yun Tae Jung. Early supplemental parenteral nutrition is associated with reduced mortality in critically ill surgical patients with high nutritional risk, Clinical Nutrition, Volume 40, Issue 12, 2021, p. 5678-5683, ISSN 0261-5614. https://doi.org/10.1016/j.clnu.2021.10.008.

Cadastre-se e receba nossa newsletter