fbpx

O que é coenzima Q10?

Postado em 28 de setembro de 2020 | Autor: Natália Lopes

A coenzima Q10 se destaca por sua ação antioxidante relacionada à prevenção de doenças

Cada vez mais popular, a coenzima Q10 (CoQ10) tem sido recomendada por sua ação antioxidante relacionada, principalmente, a prevenção de doença cardiovascular e efeitos deletérios do envelhecimento.

Trata-se de um composto essencial ao corpo humano, parecia com uma vitamina, naturalmente sintetizado na membrana interna da mitocôndria. Identificada pela primeira vez em 1957, pelo professor Fred Crane na Universidade de Wisconsin (EUA), sua estrutura química pertence ao grupo químico das quinonas e possui característica altamente lipofílica, ou seja, possui maior estabilidade em meio lipídico. É encontrada de duas formas: ubiquinona e ubiquinol.

Qual é a função da coenzima Q10?

A CoQ10 é reconhecida componente-chave na cadeia de transporte de elétrons na mitocôndria necessária para a síntese de ATP, papel exercido pela ubiquinina, e também por sua ação antioxidante, sendo o único antioxidante lipossolúvel produzido no corpo e responsável por proteger a membrana plasmática contra peroxidação, função atribuída ao ubiquinol. Observa-se, então, uma maior quantidade de CoQ10 em órgãos de alta demanda energética, como coração, cérebro, rins e fígado. Também é a atribuída a CoQ10 a manutenção de vitamina C e a vitamina E nos tecidos.

Quais são os fatores que promovem a redução da coenzima Q10?

Sabe-se que há um importante declínio da síntese CoQ10 relacionado ao envelhecimento natural, com redução para 50% da síntese após os 70 anos, porém observa-se sua deficiência também associada a algumas doenças e estados degenerativos, como diabetes mellitus, doenças cardiovasculares (incluindo aterosclerose, hipertensão, dislipidemia), distrofia muscular, doença de Alzheimer, doença de Parkinson, entre outras. De modo geral, o estado de estresse oxidativo geral afeta os níveis endógenos de CoQ10, incluindo a prática de atividade física intensa.

Quanto de coenzima Q10 precisamos ao longo do dia?

A CoQ10 pode ser obtida através da alimentação, mas a maior parte é sintetizada no corpo, principalmente no fígado. Estima-se que nossa necessidade diária é de aproximadamente 500 mg/dia, sendo que a dieta fornece normalmente até 5 mg/dia.

Como deve ser feita a suplementação de coenzima Q10?

Estudos em animais e ensaios clínicos demonstram benefícios da suplementação de coenzima Q10 em situações de doença cardiovascular, diabetes, hipertensão, além de declínios cognitivos relacionados a idade e doença de Parkinson, porém a dosagem relatada de CoQ10 difere em uma ampla faixa de 100-300mg.

De forma geral, a CoQ10 é bem tolerado, sem efeitos adversos graves detectados no uso de longo prazo, sendo relato apenas distúrbios gastrointestinais leves, embora isso não seja relacionado à dose. São desconhecidos efeitos colaterais tóxicos relacionados a CoQ10.

Vale destacar que a sua absorção é não é linear e dependente de gorduras, devido a sua característica lipossolúvel. Observa-se que doses crescentes absorvidas em grau decrescente, por isso recomenda-se a administração em doses divididas (normalmente 100 mg duas ou três vezes ao dia). No entanto, os estudos sugerem que mais ensaios clínicos são necessários para se avaliar os efeitos a longo prazo da suplementação de coenzima Q10 nas mais dieferentes condições clínicas.

 

Referências

HARGREAVES, Iain P. et al. Coenzyme Q10 Supplementation in Fibrosis and Aging. Reviews On Biomarker Studies In Aging And Anti-Aging Research, [S.L.], p. 103-112, 2019. Springer International Publishing. http://dx.doi.org/10.1007/978-3-030-25650-0_6.

PRASAD, Kedar N.. Micronutrients in Health and Disease. 2. ed. Boca Raton: Taylor & Francis Group, 2019.

ZOZINA, Vladlena I. et al. Coenzyme Q10 in Cardiovascular and Metabolic Diseases: current state of the problem. Current Cardiology Reviews,[S.L.], v. 14, n. 3, p. 164-174, 7 ago. 2018. Bentham Science Publishers Ltd.. http://dx.doi.org/10.2174/1573403×14666180416115428.

Leia também