fbpx

Uso do ângulo de fase no diagnóstico nutricional de pacientes hospitalizados

Postado em 12 de fevereiro de 2019 | Autor: Marcella Gava

Medida simples pode pode ser utilizado concomitantemente a outros parâmetros para complementar a avaliação nutricional dos pacientes

Revisão sistemática explorou a relação entre Ângulo de Fase (AF), indicador de integridade celular, e a Avaliação Subjetiva Global (ASG), ferramentas de avaliação nutricional e severidade da desnutrição. Para isso, foram selecionados estudos que avaliaram essa relação em indivíduos maiores de 18 anos com doença aguda ou crônica. Foram selecionados 33 trabalhos, sendo que destes 14 eram brasileiros.

Pacientes hospitalizados – 9 estudos
Foi encontrada associação moderada entre ASG e AF<5° e melhores sensibilidade e especificidade com pontos de corte de 6,3° para homens e 5,9° para mulheres em pacientes em pré-operatórios GI. Usando os pontes de corte de 5,0° para homens e 4,6° para mulheres foi observado que o risco relativo de baixo AF aumentou com o agravamento da desnutrição. Em geral, foi observada redução significativa de AF com agravamento da desnutrição avaliada pelo ASG. A concordância entre os dois métodos variou de fraca a moderada, uma vez que vários pontos de corte foram usados.

Pacientes Hepatopatas – 4 estudos
Não foi observada correlação entre AF <5° e ASG. Estudo encontrou correlação moderada entre ASG e AF<4,4° em pacientes hospitalizados em estágio final da doença hepática. Outro trabalho identificou que o AF foi significativamente maior em pacientes bem nutridos em comparação aos desnutridos (p=0,005). Já em pacientes transplantados, não houve diferença entre o AF em pacientes desnutridos ou não (p>0.05). Assim, a associação entre ângulo de fase e ASG em pacientes com doença hepática não é clara.

Pacientes oncológicos – 11 estudos
AF em pacientes bem nutridos foi significativamente maior que em desnutridos com câncer avançado. Foi encontrada associação positiva entre AF e ASG com pontos de corte variando entre <5,1°; <5,4°; e <5,9°. Somente foi encontrado um ponto de corte ótimo do AF para homens (<5,9°). Os estudos também trouxeram uma diferença bastante significante entre o AF de pacientes bem nutridos em relação aos desnutridos (p=0,0009) com um ponto de corte ótimo de 4,733°. Embora estudos relataram associações significativos entre AF e ASG, os pontos fortes variaram.

Doença renal – 9 estudos
Foi encontrada diferença significativa do AF entre bem nutridos e desnutridos (p<0,05 e p<0,001), e uma correlação fraca entre AF e ASG, confrontada por um estudo que encontrou uma correlação forte entre estes parâmetros (p<0,001). Para ponto de corte de AF em pacientes em diálise, foram encontrados valores de <5,0° e <6,4°, além de percentis <25, <15 e <10 associados a desnutrição nestes pacientes.    Em geral, a maioria dos relatou tendências significativas de diminuição do AF com agravamento da desnutrição.

Dentre as doenças abordadas, a associação entre AF e ASG em hepatopatas e nefropatas não está clara. No entanto, em pacientes hospitalizados em geral e em oncológicos encontrou-se uma concordância significativa entre AF e ASG. Dessa maneira, os autores concluíram que apesar da revisão não trazer confirmação para a eficácia do uso do AF independentemente para diagnóstico de desnutrição, este parâmetro apresenta grande potencial e pode ser utilizado concomitantemente a outros parâmetros para complementar a avaliação nutricional dos pacientes.

Referência:

Rinaldi S et al. Is phase angle an appropriate indicator of malnutrition in different disease states? A systematic review. Clinical Nutrition ESPEN, 2018.