fbpx

Série Micronutrientes – Qual a importância da tiamina para a saúde?

Postado em 8 de julho de 2019 | Autor: Natália Lopes

Conheça desde absorção até a deficiência da vitamina B1, conhecida como Tiamina

A tiamina ou vitamina B1 é amplamente encontrada nos alimentos e sua deficiência, manifestada principalmente através do Bebribéri, é bastante rara na população em geral.

A absorção acontece no intestino delgado, principalmente nas porções do duodeno e jejuno, principalmente por transporte ativo, sendo saturável ao consumo de altas doses (absorção limitada a 2,5mg por dose). Essa absorção também é afetada pelo conteúdo de fibras e compostos fenólicos presentes nos alimentos, pelo etanol, que inibe a enzima responsável por seu transporte intestinal, e pela presença da tiaminase, uma enzima encontrada nos peixes de água doce e crustáceos crus que reduz a absorção da tiamina em até 50%. Após a absorção, a vitamina é levada para o fígado ou demais tecidos na forma de tiamina ou monofosfato de tiamina. No plasma, normalmente está ligada a alguma proteína como a albumina, sendo facilmente excretada pela urina e suor quando está na forma livre.

A tiamina atua principalmente no metabolismo energético e de macronutrientes, além de ter um papel importante no sistema nervoso, embora este ainda não esteja bem esclarecido. No metabolismo energético, participa da conversação de piruvato em acetil-CoA. Assim, sua deficiência pode provocar um aumento nos níveis plasmáticos de piruvato e lactato. A deficiência de tiamina está relacionada ao aumento da demanda metabólica ou fisiológica (gravidez, lactação, atividade física intensa, câncer, febre, hipertireoidismo, consumo de carboidratos como base da alimentação), metabolismo da vitamina prejudicado (insuficiência hepática), redução da absorção (cirurgias gastrointestinais, incluindo cirurgia bariátrica, diarreia ou vômito) e aumento da excreção (pacientes em diálise e em uso de diuréticos de alça).

Os primeiros sinais e sintomas da deficiência de tiamina costumam aparecer após dois ou três meses de baixa ingestão da vitamina e incluem insônia, nervosismo, irritação, fadiga, perda de apetite e energia e, em casos mais graves, pode ocorrer parestesia, edema de membros inferiores, dificuldades respiratórias e cardiopatias. Essa deficiência pode resultar em neurite crônica periférica, beribéri e síndrome de Wernicke-Korsakoff  (associado a deficiência aguda e alcoolismo). A recomendação de ingestão de tiamina pode ser observada no quadro 1 e as quantidade de tiamina nos alimentos encontram-se no quadro 2.

Quadro 1. Recomendação de ingestão diária de tiamina.

Fase da vida EAR (mg/d) RDA (mg/d)
Homens Mulheres Homens Mulheres
0 a 6 meses 0,2 (AI)
7 a 12 meses 0,3 (AI)
1 a 3 anos 0,4 0,5
4 a 8 anos 0,5 0,6
9 a 13 anos 0,7 0,9
14 a 18 anos 1 0,9 1,2 1
19 a 70 anos 1 0,9 1,2 1,1
> 70 anos 1 0,9 1,2 1,1
Gestação e lactação
≥ 18 a 50 anos 1,2 1,4

 

Quadro 2. Conteúdo de tiamina em 100g de alimentos.

Alimento Quantidade de tiamina (mg)
Batata-doce cozida 0,08
Biscoito de maisena 1,0
Bisteca de porco grelhada 0,77
Castanha-do-brasil 0,30
Cupuaçu 0,37
Fígado grelhado 0,21
Gema de ovo de galinha cozida 0,18
Leite 0,04
Manga 0,09
Pão francês 0,40
Peito de frango assado 0,12
Pernil de porco assado 0,77
Salmão grelhado 0,23
Semente de gergelim 0,95

 

 

Referências

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Beribéri: Entenda a doença causada pela falta de vitamina B1. Blog da Saúde, 2016.

COZZOLINO, Silvia M. Franciscato. Biodisponibilidade de nutrientes. 5ed. São Paulo: Editora Manole, 2016.

ESHAK, E.s.; ARAFA, A.e.. Thiamine deficiency and cardiovascular disorders. Nutrition, Metabolism And Cardiovascular Diseases, [s.l.], v. 28, n. 10, p.965-972, out. 2018.

STROH, Christine; MEYER, Frank; MANGER, Thomas. Beriberi, a Severe Complication after Metabolic Surgery – Review of the Literature. Obesity Facts, [s.l.], v. 7, n. 4, p.246-252, 2014.

Leia também