fbpx


Como é a microbiota de pessoas com doença autoimune?

Postado em 29 de novembro de 2021

Microbiota e doença autoimune

As doenças autoimunes são um conjunto de comorbidades, caracterizada por um ataque do sistema imune do indivíduo portador ao próprio tecido, órgão ou/e células, com uma crescente prevalência na população mundial.

Apesar de possuir uma etiologia pouco clara na literatura, muito se comenta sobre o papel de fatores ambientais, como o estilo de vida, consumo alimentar e ingestão de certos medicamentos e de antecedentes genéticos como o aumento de sua predisposição.

Devido ao aumento da prevalência, sugere-se que a má alimentação tem ligação direta com o surgimento da comorbidade em virtude, entre outros fatores, a ocorrência da disbiose intestinal, justificando o aumento de doenças, como diabetes tipo 1, doenças reumáticas e a doenças de Crohn, que são de caráter imunológico.

 

A microbiota

Sabe-se que uma microbiota intestinal diversa e saudável pode contribuir com a homeostase do organismo, auxiliando em diversos processos fisiológicos, como a síntese de vitaminas. No entanto, quando há uma alteração em sua composição, observamos quadro de disbiose, tornando o indivíduo mais suscetível a doenças.

No caso de doenças autoimunes, observa-se um quadro de disbiose grave, com o aumento de algumas cepas de microrganismo que contribuem para o aumento do processo inflamatório.

Podemos ver abaixo essas alterações:

Doença Imune Microrganismo alterado
 

Doenças de Crohn (DC)

 

Maior concentração de:

anti- Saccharomyces cerevisiae

Enterobacteriaceae e Fusobacteriaceae

E. coli, Yersinia e Clostridium difficile

 

Colite Ulcerativa (CU)

Maior concentração de:

Enterobacteriaceae e Fusobacteriaceae

 

 

 

 

 

Esclerose Múltipla (EM)

Menor concentração de:

Bacteroides

Faecalibacterium

Ácidos graxos de cadeia curta (AGCC)

Maior concentração de:

Methanobrevibacter

Enterobacteriaceae

Akkermansia

 

 

Diabetes Tipo 1

Maior concentração de:

Intestinimonas

Blautia

Fonte: F. de Luca, 2019.

Além disso, essa alteração leva a uma resposta imune deficiente, contribuindo com a prevalência de sintomas. Sendo assim, é aconselhável além do tratamento medicamentoso, a modificação da dieta consumida, a fim de proporcionar uma melhor resposta ao tratamento e controle do processo inflamatório presente.

 

A dieta

Como dito anteriormente, a modificação da dieta, contribuiu positivamente para o controle de certas doenças imunes, como é o caso da Doença de Crohn e a ingestão da dieta baixa em FODMAP.

No mais, o consumo de alimentos prebióticos, probióticos e simbióticos, também pode contribuir com a melhora do quadro, devido a sua capacidade de induzir uma produção de cepas benéficas ao intestino, auxiliando na diminuição de processos inflamatórios.

Saiba como obter probióticos da alimentação, clicando aqui

Além disso, estudos ainda apontam que a dieta vegetariana e a dieta mediterrânea podem auxiliar de forma positiva na modulação da microbiota, sendo considerada uma alternativa dietoterápica eficiente.

 

Referência

Mazzucca, CB; Raineri, D . Cappellano, G .; Chiocchetti, A. How to Tackle the Relationship Entre Autoimmune Diseases and Diet: Well Begun is Half-Done. Nutrients 2021 , 13 , 3956

Vieira SM, Pagovich OE, Kriegel MA. Diet, microbiota and autoimmune diseases. Lupus. 2014;23(6):518-526.

Xu H, Liu M, Cao J, et al. The Dynamic Interplay between the Gut Microbiota and Autoimmune Diseases. J Immunol Res. 2019;2019:7546047. Published 2019 Oct 27.

De Luca F, Shoenfeld Y. The microbiome in autoimmune diseases. Clin Exp Immunol. 2019;195(1):74-85

FRIEDRICH, Jennifer Alexandra Castanho Vieira et al. Uso de probióticos em doenças autoimunes gastrointestinais: uma revisão sistemática. Brazilian Journal Of Health Review, [S.L.], v. 3, n. 6, p. 17872-17893, 2020. Brazilian Journal of Health Review.

AMORIM, Lucas Amador; LIMA, Anabele Azevedo. Análise das interações entre alimentação e microbiota intestinal em portadores de doenças autoimunes. 2018. 25 f. Monografia (Graduação) – Faculdade de Ciências da Educação e Saúde, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2018.

HAYASHI, Aline Ayumi et al. Disbiose Intestinal e a Relação com a Patogênese de Doenças autoinumes. 2020. 20 f. TCC (Graduação) – Curso de Nutrição, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2020.

Cadastre-se e receba nossa newsletter