fbpx


Quais nutrientes estão envolvidos na queda de cabelo?

Postado em 2 de agosto de 2021 | Autor: Aline Palialol | Tempo de leitura: 3 min

A queda capilar pode estar relacionada com diversas condições, mas a nutrição pode ajudar na saúde dos fios

queda de cabelo

Os cabelos compõem a aparência, característica e personalidade de uma pessoa. Alguns têm apego e apreço demasiado pelos cabelos, enquanto outros não valorizam tanto assim. Mas fato é, que quando há queda de cabelo  inesperadamente, as pessoas buscam diversas formas de cuidar e tratar da queda capilar com cosméticos, suplementos e fármacos, esquecendo-se às vezes que a solução pode estar na alimentação e no acompanhamento nutricional.

Estresse, genética, sexo, idade, uso de medicamentos, dietas restritivas e disfunções hormonais são alguns dos fatores que contribuem para a queda capilar. No climatério, por exemplo, a queda de estrogênio pode provocar em algumas mulheres a queda de cabelo. Além disso, algumas pessoas relataram que pós-contaminação pela COVID-19 também notaram uma queda capilar.

Entretanto, apesar de tantos fatores condicionantes para a queda de cabelo e manutenção dos cabelos saudáveis, a nutrição tem uma relação estreita com a perda dos cabelos. As proteínas são macronutrientes essenciais para a construção capilar, a metionina e a cisteína, aminoácidos essenciais, são precursoras de queratina: principal componente do eixo e escudo capilar.

As gorduras presentes na dieta contribuem para a atividade hormonal e a secreção de sebo que reveste e protege o folículo piloso. Os carboidratos também apresentam relação com os cabelos. O consumo exagerado de alimentos ultraprocessados, com elevado teor de açúcares simples estimula a produção de sebo que, em excesso, promove a proliferação de microorganismos que irritam a região capilar, causando inflamações e possível desprendimento do fio de cabelo.

A ingestão insuficiente de vitaminas, em especial C, complexo B e A têm sido demonstradas como causadoras de calvície telogênica e baixo crescimento dos cabelos, além de poder acinzentar precocemente e ressecar os fios. A vitamina C, inclusive está ligada a melhor absorção de ferro que segundo alguns estudos, quando deficiente, pode influenciar indiretamente na perda de cabelo e na qualidade do fio.

A deficiência de zinco também parece prejudicar a síntese proteica e o metabolismo que rege a formação do folículo piloso. O selênio é outro micronutriente que está associado à morfogênese do folículo piloso. Em estudos com ratos, a deficiência dele é relacionada ao crescimento capilar espaçado e ainda queda capilar progressiva.

Portanto, a avaliação nutricional e a ingestão adequada de nutrientes são fundamentais para que o crescimento, manutenção e proteção contra queda capilar sejam contínuos. Ressalta-se que suplementações indevidas podem também contribuir para efeitos deletérios nos cabelos.

Referências

ADDOR, Flávia Alvim Sant’Anna et al. Fatores nutricionais e resistência da haste capilar: estudo clínico piloto. Surgical & Cosmetic Dermatology, v. 4, n. 1, p. 53-57, 2012.

Goluch-Koniuszy ZS. Nutrition of women with hair loss problem during the period of menopause. Prz Menopauzalny. 2016; 15(1):56-61. doi: 10.5114/pm.2016.58776

Guo, Emily L, and Rajani Katta. Diet and hair loss: effects of nutrient deficiency and supplement use. Dermatology practical & conceptual vol. 7,1 1-10. 31 Jan. 2017, doi: 10.5826/dpc.0701a01

PERES, Ana Claudia. Dias que nunca terminam. Radis, n. 218. 2020

Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica. Estratégias nutricionais auxiliam no combate a alopecia do paciente bariátrico. 2014.

Tabassum S. Nutrition and hair health. The Trichological Society, 2020.

Assine nossa newsletter: