>


Whey Protein: Vantagens e desvantagens nutricionais

Postado em 17 de março de 2023

O whey protein pode ser benefício para a hipertrofia e o emagrecimento, mas algumas desvantagens estão presentes.

“Whey protein” é o nome dado às proteínas do soro do leite de vaca, que contém uma alta concentração de aminoácidos essenciais de alta absorção.

Nos últimos anos, o whey protein ganhou fama no mundo do atletismo, como um suplemento esportivo capaz de aumentar a ingestão proteica, além de diversas outras vantagens.

Whey Protein vantagens e desvantagens

Mas você sabe quais são todos os benefícios deste produto? E as desvantagens, será que também estão presentes? Continue lendo para descobrir.

 

Quais são os tipos de whey protein?

Existem três tipos de whey protein, com diferentes processos de produção. São eles:

  • Whey protein concentrado
  • Whey protein isolado
  • Whey protein hidrolisado

O whey protein concentrado passa por um menor processamento: durante a filtragem, não são retirados todos os nutrientes do soro, sobrando outros macros e micronutrientes. Ele possui um alto teor calórico, com uma concentração proteica que pode variar de 34 a 89%.

Já o whey protein isolado passa por uma filtragem mais rigorosa, com uma etapa de purificação adicional para eliminar ou minimizar os carboidratos e gorduras presentes no soro. Assim, o whey isolado possui um teor proteico de pelo menos 90%.

Por fim, o whey protein hidrolisado é aquele que passou pela hidrólise, processo que visa pré-digerir as proteínas e produzir hidrolisados proteicos de absorção ainda mais rápida. Essa hidrólise pode derivar do whey protein concentrado ou isolado, portanto o whey protein hidrolizado nem sempre é isento de carboidrato e gordura.

Quais são as vantagens do whey protein?

Diversos são os benefícios do whey protein relatados pela ciência e na prática clínica. Dentre as principais vantagens do whey protein, estão:

  • Ganho de massa muscular;
  • Recuperação após o exercício físico;
  • Alto teor de aminoácidos essenciais, como a leucina;
  • Oferta de proteínas com alto valor biológico;
  • Controle do apetite e auxílio no processo de emagrecimento;
  • Redução do risco cardiovascular;
  • Fortalecimento do sistema imunológico
  • Efeitos anti-diabetes (hipoglicemia);
  • Efeitos anti-câncer.

A ingestão de proteínas antes e após o treino de resistência é essencial para estimular a síntese proteica muscular. Sendo assim, não é surpresa que o uso de whey protein seja comum entre os atletas que buscam a hipertrofia. Entretanto, outros grupos também podem se beneficiar desta característica, incluindo idosos, pacientes críticos e/ou desnutridos.

A recuperação do músculo com o uso do whey protein também está comprovada: em uma pesquisa, o consumo de whey hidrolisado por 12 semanas reduziu os marcadores de dano muscular, como creatina quinase e lactato desidrogenase.

No emagrecimento, a saciedade proveniente da maior ingestão proteica também é vantajosa. As proteínas do soro  de leite aumentam a secreção de hormônios da saciedade (como leptina e GLP -1) e reduzem a liberação de grelina (hormônio responsável pela fome), sendo considerado uma estratégia coadjuvante em programas de perda de peso.

Ademais, o uso do whey protein para auxiliar o tratamento de doenças também está sendo descrito. Em uma metanálise com nove estudos, a suplementação com whey trouxe melhorias em vários fatores de risco de doença cardiovascular, incluindo pressão arterial sistólica e diastólica e colesterol total.

Já para o diabetes, o whey protein é capaz de reduzir os níveis de glicose sérica e aumentar os níveis de insulina.

Quais são as desvantagens do whey protein?

Apesar de todos os benefícios, o whey protein não deve ser consumido livremente ou sem uma orientação profissional. Isso porque o suplemento também pode apresentar algumas desvantagens nutricionais. E quais são elas?

Em primeiro lugar, é preciso se atentar à sua composição nutricional. O processamento do soro de leite pode levar à formação de peptídeos amargos, que precisam ser mascarados para aumentar a palatabilidade. Assim, algumas marcas podem adicionar aditivos como sucralose, frutose, sacarose, glutamato monossódico, dentre outros.

Outro ponto de atenção é a ingestão proteica diária. Para adultos, a dose ideal de proteína por refeição é de 20g, ou 0.25 a 0.4 g/kg/refeição. Doses maiores que essas, provenientes do consumo de whey em excesso, não irão trazer mais vantagens, pelo contrário: podem ser prejudiciais, sobrecarregando os fígados e os rins. Casos de doença hepática ou renal requerem ainda mais cautela.

Por fim, alguns públicos também não se beneficiam tanto do whey protein. Em casos de intolerância à lactose, por exemplo, o suplemento pode gerar desconforto e mal estar. Sendo assim, é recomendado o whey isolado, com baixo teor de lactose.

Já para o público infantil, outros componentes da fórmula podem gerar alergia. Em estudos anteriores, crianças que consumiam proteínas do leite desenvolveram problemas gastrointestinais, dermatite atópica, alergias respiratórias ou reações anafiláticas.

Quando indicar whey protein para meus pacientes?

Como visto, o whey protein possui suas vantagens, mas também algumas desvantagens. Sendo assim, devemos questionar: quando a indicação deste suplemento realmente se faz necessária?

Se o paciente realmente não consegue atingir sua necessidade proteica apenas através da dieta, o whey pode ser um ótimo complemento. Outro caso oportuno são os indivíduos com rotinas agitadas e pouco tempo para realizar as refeições: neste cenário, as bebidas proteicas são uma boa solução.

Porém, nunca devemos deixar de lado os alimentos proteicos, que conservam a matriz alimentar original, e agregam com diversos outros nutrientes.

De modo geral, devemos lembrar de uma das máximas da nutrição: alimentação em primeiro lugar, e suplementação em segundo.

Se você gostou deste conteúdo, leia também:

Referências

LOLLO, P. C. B. et al. Hydrolysed whey protein reduces muscle damage markers in Brazilian elite soccer players compared with whey protein and maltodextrin. A twelve-week in-championship intervention. International dairy journal, v. 34, n. 1, p. 19-24, 2014.

MINJ, Shayanti; ANAND, Sanjeev. Whey proteins and its derivatives: Bioactivity, functionality, and current applications. Dairy, v. 1, n. 3, p. 233-258, 2020.

Suplementos nutricionais no esporte. CRN-4. Conselho Regional de Nutricionistas. Rio de Janeiro / Espírito Santo, 2021.

WIRUNSAWANYA, Kamonkiat et al. Whey protein supplementation improves body composition and cardiovascular risk factors in overweight and obese patients: a systematic review and meta-analysis. Journal of the American College of Nutrition, v. 37, n. 1, p. 60-70, 2018.

Cadastre-se e receba nossa newsletter